×
Loading ...

Como converter PST para Mbox

Atualizado em 17 abril, 2017

Dois dos formatos de e-mail mais comuns são o PST, usado pelo Microsoft Outlook, e o Mbox, usado pelos sistemas Unix, incluindo Gmail, Yahoo, Entourage para o Macintosh e o Mozilla Thunderbird. Converter seus e-mails de PST para Mbox pode ser complicado devido às alterações feitas ao primeiro por volta de 2004, mas agora pode ser feito de forma fácil e confiável.

Instruções

Leve seus e-mails do Outlook para um formato que outros programas podem ler (email concept image by onlinebewerbung.de from Fotolia.com)

    Se tiver acesso a uma máquina com Outlook

  1. Baixe o Mozilla Thunderbird na máquina que tiver o Outlook instalado. Isso pode ser feito pelo site da Mozilla (ver Recursos) e o programa é gratuito e repleto de funções.

    Loading...
  2. Instale e abra o Thunderbird.

  3. Vá até o menu de arquivos e selecione "Importar" e selecione o arquivo PST. O Thunderbird converterá o arquivo existente no formato Mbox para que possa acessar as mensagens antigas.

    Se tiver o arquivo PST mas não o Outlook

  1. Baixe o LibPST, que é um programa aberto e gratuito que funciona no Linux e no MacOS X e converte arquivos PST para Mbox. Ele pode ser baixado do site five-ten-sg.com (ver Referências).

  2. Instale o programa. Se estiver no Linux, ele vem com um instalador RPM; isso também funciona com o MacOS X com um utilitário de instalação RPM (ver Recursos).

  3. Abra a tela do terminal.

  4. Digite o seguinte comando:

    "readpst –S –D "

    Substitua as palavras "pasta e-mail" por onde deseja que o arquivo convertido seja instalado, e "nome arquivo PST" é o caminho completo do arquivo PST. A pasta de destino deve existir antes de rodar o código. As bandeiras -S e -D moverão cada mensagem para cada subpasta e manterão todos os anexos.

Loading...

Dicas

  • Se você conseguir usar o método do Thunderbird, saiba que ele é mais lento, porém mais fácil.

Aviso

  • O método do LibPST presume que você tem conhecimento técnico do terminal do Linux que vai além do código usado nesse artigo.

Referências

Recursos

Loading ...
Loading ...