Como converter um regime de competência em um regime de caixa de contabilidade

Escrito por jessica kent | Traduzido por jesse mourao
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como converter um regime de competência em um regime de caixa de contabilidade
O regime de competência contábil registra as entradas ganhas e realizadas ou realizáveis (Jupiterimages/BananaStock/Getty Images)

Os dois métodos básicos de contabilidade disponível para as empresas são o regime de competência e o regime de caixa. O regime de competência contábil registra as entradas ganhas e realizadas ou realizáveis. Para ser ganhos, o bens ou serviços devem ter sido fornecidos. Os conceitos realizado ou realizável tem a ver com a arrecadação, ou arrecadação previsível, de pagamento de bens ou serviços que foram prestados. As despesas são registradas quando a renda é contabilizada pelo regime de competência contábil. Já o regime de caixa registra as entradas, quando são arrecadadas; e as despesas, quando são pagas. Muitas empresas operam sob o regime de competência, mas registram as suas declarações de impostos com base no regime de caixa. Devido às diferenças de registros, existe um processo de reconciliação necessário para a conversão do regime de competência em regime de caixa.

Nível de dificuldade:
Moderado

Outras pessoas estão lendo

O que você precisa?

  • Planilha de balancete
  • Calculadora

Lista completaMinimizar

Instruções

  1. 1

    Revise seu balancete. Se os ajustes de fim de ano são necessários, faça-os antes da conversão de regime de competência para regime de caixa.

  2. 2

    Examine a contabilidade de contas a receber. Esse tipo de conta, por natureza, é uma conta em regime de competência. Qualquer ajuste que é feito para converter o balancete de regime de competência para regime de caixa irá envolver tanto uma conta de balanço e uma conta de resultado. Para ajustar as contas à receber, calcule a variação líquida da conta durante o ano. Por exemplo, se o balanço das contas de abertura a receber foi de R$ 200.000,00, e após os ajustes de fim de ano o saldo final foi de R$ 300.000,00, pode ser feito o seguinte cálculo: R$300.000,00 - R$200.000,00. O resultado de R$100.000,00 representa um acréscimo em vendas durante o ano. Não registre contas a receber em seu retorno de imposto. Em vez disso, o aumento de caixa de R$100.000,00 será incluído com as vendas registradas para o ano como retorno de impostos em um regime de caixa.

  3. 3

    Realize o mesmo cálculo para as suas contas a pagar. Por exemplo, se suas aberturas de contas a pagar foram de R$ 200.000,00 e os fechamentos de contas a receber foram de R$ 400.000,00; pode ser feito o seguinte cálculo: R$200.000,00 - R$400.000,00. O resultado negativo de R$200.000,00 representa o custo de materiais, material de escritório e outras despesas que são acumulados antes de serem pagos.

  4. 4

    Aloque os custos auferidos acima para os itens apropriados de sua declaração de renda. Isso irá registrar suas despesas com base no regime de caixa, eliminando as despesas provisionadas relatadas nas contas a pagar.

  5. 5

    Reveja outras contas pelo regime de competência em seu balanço e declaração de renda e faça os ajustes semelhantes aos feitos para as contas a pagar e contas a receber. Por exemplo, se você tem um passivo fiscal diferido, calcule a diferença entre a abertura e o fechamento e compense o resultado contra a sua despesa de imposto diferido.

Dicas & Advertências

  • Alguns itens contabilizados são autorizados a serem representados nos balanços do regime de caixa. Empréstimos a receber e a pagar, hipotecas a pagar, folha de pagamento e impostos sobre vendas a pagar são comumente apresentados nos balanços de regime de caixa.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível