Crestor vs. Vytorin

Escrito por rebecca s. mcclinton | Traduzido por aline cortez
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

O Crestor (rosuvastatina) e o Vytorin (ezetimiba-simvastatina) são medicamentos aprovados pela Administração Federal de Alimentos e Medicamentos (FDA) dos Estados Unidos para reduzir o colesterol. Ambos fazem parte da classe chamada "estatinas", que baixam o nível de colesterol no sangue, diminuindo sua produção no fígado.

Outras pessoas estão lendo

Mecanismo de ação

O Crestor reduz o colesterol, aumentando o número de receptores de lipoproteína de baixa densidade (LDL) nas membranas celulares e removendo o colesterol LDL (ruim) do sangue. Ele também melhora a vasodilatação das artérias coronárias e sistêmicas.

O Vytorin funciona inibindo a absorção intestinal do colesterol e dos fitosteróis relacionados. Assim como o Crestor, ele também melhora a vasodilatação das artérias coronárias e sistêmicas.

Efeitos colaterais do Crestor

Os efeitos colaterais mais comuns associados ao Crestor, de acordo com o DIOne, um sistema de gestão de medicamentos utilizado por hospitais, são dores de cabeça, náusea, fraqueza, dor abdominal e muscular.

Um efeito colateral raro (menos de 1% de incidência) e sério consiste de dor, fraqueza e sensibilidade nos músculos. Se isso acontecer, o médico deve ser informado de imediato, especialmente se houver febre.

Outros efeitos colaterais incluem dores nas costas, artrite, faringite, rinite, sinusite, bronquite, tosse, dispneia, pneumonia, asma, tontura, insônia, hipertonia, formigamento, vertigem, nevralgia, sonolência, fadiga, disfunção dos nervos cranianos, tremores, perda de memória, declínio da função cognitiva, neuropatia periférica, polineuropatia, paralisia dos nervos periféricos, depressão, ansiedade, libido reduzida, pensamentos suicidas, delírios, paranoia, agitação, pesadelos, diarreia, dispepsia, náusea, constipação, gastroenterite, vômito, flatulência, abscesso periodontal, gastrite, dor abdominal, pancreatite, anorexia, gripe, infecção do trato urinário, edema periférico, lesão acidental, dor no peito, infecção, dor, dor pélvica e no pescoço, hipertensão, angina de peito, vasodilatação, palpitações, anemia, equimose, erupções cutâneas e prurido.

Efeitos colaterais do Vytorin

O Vytorin também apresenta o risco de apresentar o mesmo efeito colateral sério associado ao Crestor: dor e fraqueza muscular acompanhadas de febre.

Efeitos colaterais mais comuns e menos sérios são dor de cabeça, diarreia, dor muscular e náusea.

Outros efeitos colaterais incluem pancreatite, constipação, flatulência, dispepsia, vômito, anorexia, dores nas costas, dor artrítica, erupções cutâneas, sensibilidade à luz, queda de cabelo, sinusite, faringite, infecção viral, tosse, angina, disfunção erétil, impotência, tontura, formigamento, disfunção dos nervos cranianos, tremores, vertigem, perda de memória, neuropatia periférica, paralisia dos nervos periféricos, fadiga, gripe e infecção do trato respiratório superior.

Considerações

Os pacientes devem ser informados sobre muitos outros fatores de risco ligados ao colesterol alto. Não se pode pensar que tomar um inibidor de colesterol será a única solução. Outros fatores incluem peso, histórico familiar de colesterol alto ou doença cardiovascular, pressão sanguínea, idade, diabetes e fumo.

Advertências

Tanto o Vytorin quanto o Crestor possuem advertências da FDA referentes ao potencial de apresentar miopatia grave (fraqueza muscular) e rabdomiólise (uma condição que leva o tecido e a fibra muscular a se romperem). O uso concomitante do Vytorin e do Crestor com gemfibrozil, niacina, ciclosporina ou eritromicina pode aumentar a incidência e a gravidade de efeitos colaterais músculo esqueléticos.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível