Definição de carta de cobrança bancária

Escrito por ganine gambale | Traduzido por césar campos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Definição de carta de cobrança bancária
Saiba o que é uma carta de cobrança bancária (form -3 image by Rog999 from Fotolia.com)

Uma carta de cobrança bancária é escrita por um banco a um devedor que não pagou um empréstimo ou outra dívida.

Outras pessoas estão lendo

Inadimplência de empréstimo

Quando um mutuário deixa de pagar uma dívida de um empréstimo por não conseguir efetuar um pagamento obrigatório ou por outro motivo, violando os termos do respectivo contrato, o banco envia uma carta de inadimplência para o devedor. Geralmente, ela indica a razão para a inadimplência, o valor devido e as consequências da falta de pagamento.

Inadimplência em outra dívida bancária

O banco também pode enviar uma carta de cobrança de quantias devidas relacionadas a cheques sem fundo, cheque devolvido ou outra violação.

Oportunidade de negociar a dívida

Um contrato de empréstimo pode exigir que o banco ofereça ao mutuário a oportunidade de negociar a dívida dentro de um período de tempo específico. Por exemplo, a carta de cobrança pode indicar que, se o pagamento for recebido no prazo de dez dias, o banco não iniciará uma ação judicial. Um banco não é obrigado a dar para um devedor a chance de negociar, a menos que o contrato escrito contenha um direito de negociação. No entanto, na primeira carta de cobrança, a maioria dos bancos oferecerá ao mutuário uma oportunidade razoável para pagar o valor devido.

Quantia devida

A carta de cobrança indicará a quantia devida ao banco. Se o mutuário não efetuou os pagamentos, o banco pode exigir apenas os valores vencidos e os encargos pelo atraso. No entanto, se um empréstimo contém uma cláusula de aceleração, o banco pode exigir que todo ele seja imediatamente reembolsado. O banco também pode ter direito a multas por atraso, despesas incorridas e juros de mora.

Avisos

Quando uma carta de cobrança bancária é recebida, o mutuário deve entrar em contato imediatamente com o banco ou seu advogado. Se o devedor atrasa o pagamento, mas não faz nada, o banco pode ter o direito de cobrar juros de mora bem acima da taxa do empréstimo e acrescentar os honorários advocatícios e outros custos e despesas ao montante devido. Esses valores podem aumentar significativamente a dívida com o banco. Quanto mais cedo o mutuário ou seu procurador entrar em contato com o banco, mais será provável que o devedor possa evitar esses encargos adicionais.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível