A descoberta do microscópio

Escrito por paul ramone | Traduzido por gilber de oliveira sousa
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A descoberta do microscópio
Imagem de um microscópio (microscopio image by juanjo tugores from Fotolia.com)

O microscópio, uma invenção que mudou a forma de como o homem vê o mundo, surgiu de um processo de muita experimentação. Originário do final do século 16, o microscópio é certamente um dos instrumentos mais inovadores de todos os tempos.

Outras pessoas estão lendo

História

Acredita-se que os primeiros modelos de microscópios surgiram em 1595. Os fabricantes de lentes para óculos, Hans Lipershey e Zacharias Jansen, fizeram experimentos com lentes para tentar enxergar coisas pequenas demais para serem vistas a olho nu. O termo "microscópio", ao que parece, foi criado por Giovanni Faber. Embora existissem modelos de microscópios anteriores, Anton Van Leeuwenhoek (1632-1723) é mundialmente conhecido como o homem responsável por melhorar significavelmente o componente básico do microscópio, com seu conhecimento sobre lentes. Leeuwenhoek nunca estudou ciências, mas foi excelente na criação de lentes de vidro. Sua habilidade nessa pratica o permitiu criar mais de 400 microscópios, com capacidade de ampliação de até 300 vezes.

O legado de Leeuwenhoek

Esse grande holandês fabricante de microscópios é também conhecido como "O pai da microbiologia". O que possibilitou a Leeuwenhoek melhorar muito o modelo básico do microscópio foi a sua habilidade em manipular vidro de uma maneira muito precisa. De fato, sua técnica de moldagem de lentes era tão importante para o funcionamento do microscópio que ele fez questão de mantê-la em segredo. Reconhecido por seus colegas, Leeuwenhoek foi introduzido na "Royal Society of England" e os maravilhou com a descoberta de organismos unicelulares, algo totalmente desconhecido naquela época.

Tipos de microscópios

Existem três tipos básicos de microscópios: óptico, de varredura e eletrônico. O microscópio óptico é o mais básico e comum. Ele utiliza a luz visível para ampliar a imagem de um objeto. O microscópio composto usa duas lentes dentro de um tubo estreito, que atuam ampliando a imagem de um objeto em até duas mil vezes. Um microscópio eletrônico faz uso de feixes de elétrons para ampliar um objeto. Os dois tipos de microscópios eletrônicos incluem a transmissão eletrônica microscópica (TEM) e o escaneamento eletrônico microscópico (SEM). Os microscópios de elétrons são capazes de ampliar um abjeto a até cem mil vezes. Um microscópio de varredura por sonda usa uma sonda para escanear a superfície de um espécime e criar uma imagem 3D.

O microscópio óptico

O microscópio óptico foi o mais essencial para as experiências mais antigas, além de ser considerado como o primeiro microscópio moderno, pois é o mais básico. Por anos, cientistas trabalharam no posicionamento e na criação das lentes para aumentar o grau de ampliação. A utilização de duas lentes, uma objetiva e outra ocular, permitiu ampliação maior do que com uma única lente. O trabalho de Leeuwenhoek impulsionou esse modelo básico para níveis ainda mais completos.

Importância

A descoberta do microscópio permitiu ao homem aprender muito sobre a vida nos níveis microscópicos e atômicos. O primeiro microscópio composto era muito superior a qualquer modelo anterior, permitindo a Leeuwenhoek descobrir os sistemas capilares, protozoários e bactérias. Leeuwenhoek também observou vários tecidos musculares e de plantas, como também o ciclo de vida das formigas. Microscópios modernos, muito superiores aos primeiros modelos de Leeuwenhoek, permitiram um estudo intenso de organismos e vida em níveis atômicos. O progresso na ciência moderna deve muito ao advento do microscópio.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível