Como descobrir se seus discos de vinil têm algum valor

Escrito por eric erickson | Traduzido por bruno belli sinder
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como descobrir se seus discos de vinil têm algum valor
O lixo de um pode ser o tesouro de outro. (Vynil player image by Photosani from Fotolia.com)

Durante décadas, um rádio com tocador de disco era tão comum quanto um televisão em muitas residências. Fitas cassete e até mesmo o CD tiveram um vida consideravelmente curta em comparação com os discos de vinil. Hoje em dia, amantes de música gostam de colecionar vários estilos de gravações, dando preferência ao som e à apresentação. Embora a demanda para discos de vinil continue alta, existem algumas coisas a se considerar para achar um joia dentre a vasta variedade de discos que não têm valor algum.

Nível de dificuldade:
Moderadamente fácil

Outras pessoas estão lendo

Instruções

    O processo de avaliação de um disco

  1. 1

    Colecionadores de discos de vinil classificam a condição dos mesmos variando de "novo" a "bom", e discos em condições ruins não valem quase nada. É importante ser realista ao classificar a condição de um disco. Arranhões profundos que não podem ser alisados e proíbem a agulha de circular demonstram que o disco foi muito usado e provavelmente não foi bem guardado. Os discos em condição de "novo" são muito raros, por isso são mais valiosos. Isso também vale para as capas dos discos, que ajudam a torná-los valiosos no mercado de colecionáveis.

  2. 2

    Avalie a demanda pelo disco. Discos raros, com produção limitada, de gravadoras desconhecidas ou que tenham sido retirados de produção rapidamente possuem o valor mais alto. Discos de artistas muito conhecidos, como Elvis Presley ou The Beatles mantêm o valor com mais facilidade, mas isso também pode limitar o seu potencial. Os artistas mais populares da era do vinil (de 1948 a 1984, para LPs) tinham um distribuição de seus discos em grande escala, e por isso eles não são tão raros. Discos valiosos podem apresentar algumas das seguintes características: um disco original (disco reemitidos são menos valiosos), um que tenha sido produzido por pouco tempo ou seja de uma produtora desconhecida, um disco que contenha um capa censurada ou com erro de impressão, e um que tenha sido lançado por um artista que voltou a ser popular depois de anos.

  3. 3

    Pesquise estimativas. Guias de compra de discos estão disponíveis em bibliotecas e livrarias e são o lugar mais apropriado para começar a estimar o valor dos mesmos. Grandes cidades têm lojas de discos usados, e elas são o lugar mais fácil, embora não sejam o mais preciso, para obter uma estimativa do valor de um disco. A desvantagem de uma loja de discos usados é que elas trabalham de acordo com a demanda local e têm problemas com questões de espaço na prateleira. Um disco pode ter algum valor, mas já existir na loja, o que vai diminuir o seu preço. Guias de discos na internet e colecionadores podem ajudar a chegar a um valor mais preciso de acordo com a demanda do mercado, apesar de o avaliador não avaliar o disco pessoalmente. Recomenda-se avaliar através de todos esses métodos para conseguir uma boa variedade de estimativas.

  4. 4

    Teste o mercado. Leilões na Internet são um bom lugar para conseguir estimativas e testar o mercado de discos. Aumente um pouco o valor estimado para se garantir, e aguarde para ver o que as pessoas oferecem. Vendas em consignação, feiras ou até vendas em garagem podem ser bons locais para vender os discos, desde que se proteja o valor do vinil.

Dicas & Advertências

  • É muito difícil estimar precisamente o valor de um artigo colecionável. A condição do disco pode ser algo muito subjetivo, e avaliar a demanda requer interpretar inúmeros fatores. A indústria de gravação vendeu música empacotada por quase um século, em 45 rpm, EP e LP, e a natureza quase indestrutível do discos de vinil fez com que a maioria deles ainda esteja por aí.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível