Descrição do mecanismo das canetas de tinta

Escrito por grahame turner | Traduzido por luiz cezar guimarães júnior
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Descrição do mecanismo das canetas de tinta
Há vários tipos diferentes de canetas de tinta, cada uma com um mecanismo exclusivo que a faz funcionar (Cup o' pens image by hoselx from Fotolia.com)

Quando você pega uma caneta de tinta e começa a escrever, talvez nunca tenha prestado muita atenção no mecanismo que faz o trabalho — até que pare de funcionar. Há uma grande variedade de mecanismos que canetas usam para dispensar a tinta na escrita.

Outras pessoas estão lendo

Tipos

Quando pensamos em canetas, provavelmente pensamos nas variedades mais comuns, mas as primeiras canetas criadas foram as canetas-tinteiro – uma adaptação das penas para escrever, sendo até possível encontrar algumas canetas projetadas como as penas. As canetas mais comuns são as esferográficas, como típica sua caneta de plástico. A rollerball é bem parecida com a esferográfica, mas com uma considerável diferença. E por fim, existe a caneta de feltro.

Caneta-tinteiro

A caneta-tinteiro foi um dos primeiros tipos de canetas já feitos, e possui um canal estreito que leva ao reservatório, um pequeno buraco que contém tinta extra. Ela funciona através de um delicado equilíbrio entre a gravidade e capilaridade. Em tubos finos, alguns líquidos assumem uma única propriedade: tentar permanecer no tubo. A gravidade combate o evento e o papel tentará absorver a tinta, atraindo-a para baixo. Ela não tem partes móveis, mas também não armazena uma grande quantidade de tinta, apenas o montante que fica no reservatório, significando que você precisa mergulhá-la na tinta de tempos em tempos.

Descrição do mecanismo das canetas de tinta
A caneta-tinteiro de perto — perceba o pequeno buraco que, na verdade, é o reservatório (fountain pen image by Pali A from Fotolia.com)

Caneta esferográfica

A caneta esferográfica também depende muito da gravidade, mas armazena muito mais tinta. A tinta cai em direção à esfera da caneta, que está na ponta, que rola apegando-se à tinta por dentro, e depois rolando até o fim da caneta e saindo no papel.

Descrição do mecanismo das canetas de tinta
Olha bem de perto e você verá uma pequena esfera na ponta da caneta — essa é a "esfera gráfica" (pen ballpooint image by Pali A from Fotolia.com)

Caneta rollerball

Canetas rollerball são muito parecidas com as esferográficas; podemos até dizer que a rollerball é uma evolução desse outro tipo. A principal diferença é que o cartucho é pressurizado, significando que a tinta é empurrada contra a esfera na ponta, mas a desvantagem é que o cartucho para essa caneta é muito mais caro.

Descrição do mecanismo das canetas de tinta
Uma caneta legal, de metal, é geralmente uma rollerball — elas também são, às vezes, utilizáveis de cabeça para baixo (pen image by Zbigniew Nowak from Fotolia.com)

De feltro

Uma caneta de feltro é mais comumente conhecida como um marcador, mas são muito semelhantes no estilo. Como uma caneta, ela possui um revestimento de plástico com um reservatório de tinta e um tipo de mecanismo para entregar essa tinta. Nesse caso, é a ponta de feltro, que age como um pavio. Você provavelmente está familiarizado com o pavio de uma vela, mas em um marcador, ele tem também a vantagem da gravidade: puxando o líquido através do feltro e colocando-o na página.

Descrição do mecanismo das canetas de tinta
A ponta inteira da caneta é feita de feltro, que é como o marcador funciona (marker on the desk image by Oleg Leshchev from Fotolia.com)

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível