As desvantagens da citometria de fluxo

Escrito por deyanda flint | Traduzido por eduardo horst maidana
As desvantagens da citometria de fluxo
A citometria de fluxo permite analisar e separar células em uma suspensão (Ablestock.com/AbleStock.com/Getty Images)

A citometria de fluxo, uma técnica que pode ajudar a caracterizar partículas microscópicas, como células e cromossomos, permite a análise simultânea das características físicas e químicas de milhares de partículas por segundo e em vários parâmetros científicos diferentes. A separação de células por fluorescência, que é uma forma especializada de citometria de fluxo, pode, também, separar uma mistura heterogênea de células em duas ou mais linhagens, de acordo com suas propriedades de reflexão da luz fluorescente. Instrumentos baseados nesse conceito são um aparato científico extremamente poderoso utilizados em pesquisas e laboratórios de microbiologia para a separação física de células. Essa técnica é também útil no diagnóstico de doenças como leucemia (câncer sanguíneo).

Desvantagens da técnica de citometria de fluxo

Existem, porém, algumas severas limitações no uso dessa técnica científica. Como os resultados da citometria de fluxo são analisados em um nível agregado, não é fácil observar e medir o comportamento individual das células. Além disso, como essa técnica requer a passagem de células por uma corrente de líquido, ela restringe a análise, apenas, a soluções de células em suspensão. Por essa mesma razão, células teciduais têm que ser desagregadas do tecido, o que é feito pelo tratamento dos tecidos intactos com uma enzima que destaca essas células para uma posterior análise.

As desvantagens da citometria de fluxo
A citometria de fluxo permite apenas avaliar células em suspensão (Thinkstock Images/Comstock/Getty Images)

Baixa taxa de vazão celular

Uma das maiores desvantagens dos citômetros de fluxo é a sua baixa taxa de vazão celular. Mesmo para os separadores de alta velocidade, a taxa é menor que alguns poucos milhares de células por segundo. Muitos experimentos, porém, requerem um grande número de células. Então, mesmo os separadores de alta velocidade precisam trabalhar por muito tempo, o que não é apenas caro, mas também pode causar problemas de qualidade, porque essas células passadas por processos muito longos podem não ser mais utilizáveis nos experimentos. Esse problema pode ser agravado quando as células separadas precisam estar em ambiente estéril. Embora os citômetros de fluxo de alta velocidade possam prover células estéreis, isso torna o processo mais complexo e reduz a vazão.

As desvantagens da citometria de fluxo
Uma das maiores desvantagens da citometria de fluxo é sua baixa taxa de vazão celular (Chris Hondros/Getty Images News/Getty Images)

Necessidade de operadores altamente qualificados

Como o citômetro de fluxo é um aparelho muito sofisticado, somente pessoal qualificado e altamente treinado pode operá-lo e conseguir níveis aceitáveis de aproveitamento com o equipamento.

As desvantagens da citometria de fluxo
Os citômetros de fluxo requerem pessoal altamente qualificado e treinado para sua operação (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Citômetros de fluxo são caros

Os citômetros de fluxo são instrumentos caros para se comprar e manter. Um citômetro de fluxo a laser, que pode apenas analisar sem separar, custa quase R$200.000, enquanto um citômetro baseado em lâmpadas custa um pouco menos, por volta de R$150.000. Citômetros de fluxo com a capacidade adicional de separar as células podem custar quase o dobro das suas versões mais baratas. Além disso, realizar uma separação de alta velocidade é outra despesa recorrente, que custa, normalmente, milhares de reais a cada uso.

As desvantagens da citometria de fluxo
A citometria de fluxo é cara, tanto quanto aos aparelhos, como à sua operação. (Ablestock.com/AbleStock.com/Getty Images)
Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível