Mais
×

Dicas de escrita para capturar as emoções e sentimentos dos personagens em um livro

Atualizado em 21 fevereiro, 2017

Capturar as emoções de seus personagens é sempre um desafio, porque eles são conceitos abstratos. Colocá-los no papel é sua tentativa de torná-los concretos. Leva tempo e prática para escrever eficazmente as emoções. Passe algum tempo olhando as pessoas para observar como elas interagem ou assista a filmes com atores talentosos e analise suas performances. Tente se lembrar de algo que deixa você irritado, triste ou feliz e preste atenção à forma como seu corpo reage.

Capturar emoções é uma parte difícil do processo da escrita (David De Lossy/Photodisc/Getty Images)

Mostre, não conte

Mostre, não conte, é uma das regras básicas de escrita. Isso significa que você nunca deve dizer a um leitor o que seu personagem está sentindo. Em vez disso, mostre a seu leitor como o personagem está sentindo, descrevendo suas ações. Não escreva "João está com raiva", mas sim "João apertou os punhos" ou "cerrou os dentes" e seu leitor entenderia essas pistas visuais no sentido de que João está com raiva. Pense como age uma pessoa zangada ou triste. Não escreva "Maria está triste" nem "Maria está chorando", mas "os olhos de Maria estavam inchados e vermelhos. As mangas de sua camisa estavam cobertas por trilhas molhadas de rímel".

Use o diálogo

Revele como seu personagem se sente com o diálogo. Se você quiser que seu personagem seja emotivo, faça com que outro personagem diga algo provocante para ele. Por exemplo, se seu personagem tiver medo de compromisso, faça com que a namorada dele aborde o assunto. Se você usar diálogo realista, seu personagem vai evitar a conversa, será encurralado, então se tornará cada vez mais irritado até que diga algo para machucar como: "Você só quer casar porque é insegura" ou "Você quer me amarrar, porque sabe que sou bom demais para você".

Você nunca vai dizer que ele tem medo de compromisso, mas o leitor entende isso devido à forma como reagiu à conversa. Faça alguma pesquisa sobre a psicologia humana e você descobrirá como mecanismos de enfrentamento e táticas de evasão afetam o comportamento humano.

O diálogo entre personagens revela a personalidade e estado emocional deles (Jupiterimages/Brand X Pictures/Getty Images)

Narração

Se você usar a narração em primeira pessoa, o leitor estará dentro da mente do seu personagem. Neste caso, pense sobre o que passa pela sua mente quando você está emotivo. Se você está com raiva, você não pensa "estou com raiva", mas você provavelmente culpa outras pessoas, usa palavrões, torna-se irracional e talvez até queira atacar alguém fisicamente. Use isso no fluxo de consciência do seu personagem.

Se você usar narração em terceira pessoa, você pode descrever a aparência exterior do personagem e como outros personagens reagem a eles. Por exemplo, se um personagem estiver irritado, outro personagem pode reagir agachando-se, fugindo ou gritando de volta. Se você estiver usando narração onisciente em terceira pessoa, o leitor será capaz de ler as mentes dos outros personagens. Use a narração onisciente a seu favor, dando a seu leitor uma opinião tendenciosa do estado emocional do protagonista, interpretado através dos olhos de outro personagem.

Suponha a capacidade de público

Supor que seu público é inteligente significa que você supõe que eles serão capazes de ler nas entrelinhas. Eles vão captar as pequenas pistas e juntar as coisas por conta própria. Dar-lhes muita informação vai estragar o suspense e será entediante. Escritores dão informações demais a seu público pelo uso excessivo de adjetivos e advérbios. Adjetivos são desnecessários se você escolher um substantivo forte o suficiente, e o mesmo acontece com advérbios. Você não precisa dizer que João "bateu com raiva na porta" ou "esmurrou a porta com força", porque o verbo "esmurrar" implica que a ação é forte e também que a pessoa pode estar com raiva.

Descrever um personagem triste como "afundando em um profundo, escuro poço de vazio, onde tudo é tão negro como a noite" é um exagero. Uma descrição melhor pode ser "afundando na escuridão", ou mencionar que ele tem "um vazio" dentro de si.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article