Dieta crua para fadiga adrenal e cândida

Escrito por faith mcgee | Traduzido por marina pastore
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Dieta crua para fadiga adrenal e cândida
Seguir uma dieta rica em frutas e vegetais ajuda a curar a fadiga adrenal e a cândida (Jupiterimages/Comstock/Getty Images)

A fadiga adrenal é principalmente reconhecida pelo campo da saúde alternativa como um distúrbio em que as glândulas não produzem hormônios suficientes. A cândida é um fungo presente no corpo; porém, seu crescimento excessivo traz inúmeros problemas. Ambos os distúrbios compartilham muitos dos mesmos sintomas, como fadiga, fraqueza muscular e problemas digestivos. A dieta e a nutrição desempenham papéis importantes no tratamento desses distúrbios. Descubra que dieta de alimentos crus é melhor para curar fadiga adrenal e cândida.

Outras pessoas estão lendo

Causas de fadiga adrenal e cândida

Uma dieta ruim pode exacerbar ou causar os problemas que provocam a cândida e a fadiga adrenal. A cândida é uma levedura que se desenvolve em ambientes açucarados. Alimentos como cogumelos, açúcar refinado, comida processada, pães e bolos, laticínios, alimentos em conserva e vinagre permitem que a cândida superpovoe os tratos digestivo e retal. Açúcar, alimentos muito gordurosos, laticínios e estresse também suprimem o sistema imunológico. O estresse é um dos componentes mais importantes na fadiga adrenal. As glândulas adrenais produzem hormônios que ajudam o corpo a lidar com o estresse. Se a pessoa sofre estresse prolongado, a taxa de produção desses hormônios diminui. Uma pessoa pode estar com uma dieta pobre para lidar com o estresse e acabar tendo fadiga adrenal e encorajando o crescimento da cândida. Alimentos crus são desprovidos de muitos dos alimentos que reduzem a saúde do sistema imunológico. Muitas pessoas em dieta lidam tanto com o crescimento da cândida quanto com o estresse que a comida coloca sobre seus corpos.

Dieta de alimentos crus

Uma dieta de alimentos crus é desprovida de laticínios e proteína animal. A crença por trás dessa dieta é de que comer alimentos acima de 46 ºC destrói as enzimas nutritivas em frutas, vegetais e castanhas. As enzimas são importantes para o corpo, porque elas auxiliam a digestão. Evitando que as enzimas sejam destruídas, os alimentos têm maior valor nutricional. A dieta consiste em brotos, frutas, vegetais, grãos, vegetais marinhos e castanhas. Aqueles com um crescimento excessivo de cândida acham que essa dieta é útil, porque é livre da maior parte dos alimentos que ajudam o fungo a crescer. Pacientes que sofrem de fadiga adrenal adotam essa dieta porque ela não inclui os alimentos que suprimem o sistema imunológico e causam mais estresse.

O que comer

Comece sua manhã com uma vitamina de castanhas. Mergulhe uma xícara de amêndoas na água de um dia para o outro na geladeira, para que elas brotem. O brotamento permite que a amêndoa germine parcialmente, o que acredita-se que aumenta seu valor nutricional. Misture leite de amêndoas, amêndoas brotadas, baunilha de uma fava de baunilha e gelo. Além disso, faça uma bebida de vegetais com tomates, cenouras, aipo, um pouco de Tabasco e sal de aipo. Para o almoço, faça seus próprios hambúrgueres vegetarianos com antecedência. Para cozinhar seu hambúrguer, configure um desidratador para 40 ºC. Siga o link para a receita nas Referências. Vire seus hambúrgueres depois de quatro horas e tire-os depois de cinco horas. Faça um almoço rápido preparando uma salada de castanhas, sementes, alface, vegetais e azeite de oliva prensado a frio com aminoácidos de Bragg. Outras ideias para entradas incluem misturar tiras de abobrinha com pesto ou rechear pimentas jalapeño com guacamole. Experimente com essas receitas para encontrar algumas que se adequem às suas necessidades de reduzir a cândida e estimular suas glândulas adrenais.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível