Dieta e plano alimentar para pancreatite aguda

Escrito por barbara bryant | Traduzido por ana olson
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Dieta e plano alimentar para pancreatite aguda
É preciso adotar uma dieta especial para tratar a pancreatite (Jupiterimages/Comstock/Getty Images)

O pâncreas é uma grande glândula localizada atrás do estômago e perto do intestino delgado. Ele produz enzimas que, combinadas com a bile do fígado, digerem alimentos e liberam insulina e glucagon na corrente sanguínea. Quando inflamado, as enzimas dentro do pâncreas o danificam. As complicações incluem o desenvolvimento de cálculos biliares, que podem precisar ser removidos cirurgicamente. A pancreatite aguda ocorre subitamente e geralmente melhora dentro de poucos dias com tratamento adequado, que pode exigir hospitalização para controlar a dor, hidratação venosa e antibióticos, além de dieta especial.

Outras pessoas estão lendo

Dieta inicial de recuperação

Se você estiver doente o suficiente para ser hospitalizado, prepare-se para jejuar por pelo menos alguns dias para que o pâncreas fique inativo e possa se ​​recuperar. Em caso de vômito, um tubo pode ser colocado através do nariz e dentro do estômago para remover o líquido e o ar. Uma vez que seja seguro retomar a comer, o paciente pode precisar ser alimentado por tubos inseridos através do nariz e garganta e conectados ao estômago por várias semanas, enquanto o pâncreas se cura.

Quando o paciente puder comer refeições normais, ele pode precisar tomar enzimas pancreáticas sintéticas com cada refeição, para substituir aquelas que o pâncreas ainda não consegue produzir. Segundo a National Digestive Diseases Information Clearinghouse (NDDIC), estas enzimas sintéticas ajudam os pacientes a digerir alimentos e recuperar o peso perdido.

Plano alimentar permanente

Para evitar novos ataques pancreáticos, adote uma dieta saudável com baixo teor de gordura e coma pequenas refeições várias vezes ao dia. Os pacientes devem beber muita água; o chá verde, que é rico em antioxidantes, também é aceitável. Evite o álcool, já que este pode causar pancreatite aguda em muitos casos. Bebidas com cafeína causam desidratação e devem ser evitadas.

O Centro Médico da Universidade de Maryland (UMMC) avisa que comer alimentos ricos em antioxidantes, como frutas, tomates e verduras pode evitar ataques ou reduzir os sintomas. O UMMC sugere ainda que os pacientes comam alimentos ricos em vitaminas do complexo B e ferro, tais como grãos integrais, folhas verdes escuras (como espinafre e couve) e algas. Use apenas óleos monoinsaturados saudáveis ​​para cozinhar, como o azeite; coma carnes não-vermelhas e magras, atum, cavala, salmão e outros peixes de água fria, além de tofu e feijão; evite alimentos refinados, como pães brancos, massas, açúcar e muitos outros produtos comerciais, tais como biscoitos e bolos; evite alimentos ricos em gordura, tais como frituras, margarina e manteiga. Além disso, evite o tabaco.

Plano alimentar

Prefira comer alimentos ricos em antioxidantes e pobres em gordura. O café da manhã pode consistir de iogurte - que tem enzimas que ajudam na digestão e reduzem a inflamação, como explica o site Nutralife - e mirtilos ou outras frutas. Você pode adicionar também uma torrada de grãos integrais com geleia de mirtilo de baixo teor de açúcar.

Para o almoço, considere uma sopa de legumes usando caldo de galinha ou de tomate, ao qual você pode adicionar arroz integral ou quinoa.

Para o jantar, coma atum ou salmão, ou tofu e espinafre, refogados em um pouco de azeite, alho e um pouco de queijo parmesão, ou como parte de uma salada com tomates, brócolis, pimentão e abóbora. Grãos integrais, como os mencionados acima, poderiam completar a refeição. Os pacientes cuja pancreatite não esteja relacionada ao consumo de álcool podem beber vinho tinto, que é rico em antioxidantes. Pessoas que precisem evitar o álcool podem comer uvas vermelhas.

Fontes adicionais de nutrientes

Tome suplementos de vitaminas e, potencialmente, outros suplementos para corrigir eventuais deficiências nutricionais, especialmente após a perda de peso severa. Considere também a possibilidade de tomar omega-3 (óleo de peixe), o que reduz a inflamação e aumenta a imunidade. Probióticos e suplementos de ácido alfa lipóico também podem ser úteis. O UMMC também sugere a adição de suplementos contendo ervas com alto teor de antioxidantes, como o manjericão santo, unha-de-gato, cogumelos Reishi e groselha indiana (amla).

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível