A diferença entre bombas atômicas e de hidrogênio

Escrito por james price | Traduzido por lara kimberly pedra barbosa
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A diferença entre bombas atômicas e de hidrogênio
Detonações de armas nucleares são facilmente reconhecidas pela nuvem no formato de cogumelo que é criada (Digital Vision./Photodisc/Getty Images)

Desde a primeira detonação de sucesso de um dispositivo nuclear no Novo México, nos Estados Unidos, em julho de 1945, países ao redor do mundo trabalham para criar armas mais poderosas do que as anteriores.

Outras pessoas estão lendo

História da bomba atômica

A bomba atômica foi desenvolvida inicialmente pelos EUA durante a Segunda Guerra Mundial. O programa feito para criar a arma foi chamado de Projeto Manhattan, e pesquisas sobre a tecnologia foram feitas em todo o país. O programa foi originalmente iniciado depois de que um grupo dos cientistas mais importantes do mundo, incluindo Albert Einstein, escreveu uma carta ao presidente Roosevelt detalhando que a Alemanha estava tentando criar a mesma coisa. Menos de um mês depois do primeiro teste bem-sucedido no Novo México, em 1945, os Estados Unidos deixaram duas dessas bombas no Japão; as bombas foram apelidadas de "Fat Man" ("Homem gordo") e "Little Boy" ("Garotinho").

História da bomba de hidrogêneo

Embora o desenvolvimento da primeira bomba de hidrogênio não tenha começado até 1950, a ideia de tal arma foi de início sugerida por Edward Teller em 1942. Originalmente, o desenvolvimento da bomba não foi aprovado devido à falta de alvos suficientes para uma arma tão poderosa, e porque considerava-se que não havia provocação para criar uma arma mais poderosa do que o país já tinha. Não foi até a União Soviética detonar sua primeira bomba nuclear de sucesso que o presidente Truman aprovou o desenvolvimento da nova tecnologia. Os Estados Unidos completaram o primeiro teste bem-sucedido em 1952, atingindo 10.4 megatons. Menos de um ano depois, a URSS detonou sua primeira bomba.

Funcionamento da bomba atômica

A bomba atômica baseia-se em fissão nuclear para seu poder destrutivo. Contendo urânio ou plutônio enriquecido, o núcleo do átomo é dividido, criando uma reação em cadeia massiva. A bomba tem dois métodos de disparo principais, conhecidos como o método de implosão e o método da arma. O método da arma envolve uma explosão forçando duas massas de urânio juntas, criando a cisão. O método implosivo é o mais eficiente dos dois e envolve explosões ao redor de toda a massa, comprimindo-a e modificando sua densidade.

Funcionamento da bomba de hidrogêneo

A bomba de hidrogênio usa tanto a fusão com a fissão. O termo atual para este tipo de arma é termonuclear; no entanto, ela geralmente é chamada de bomba de hidrogênio devido à dependência da reação de fusão entre os isótopos de hidrogênio. O projeto usado atualmente para esta bomba, conhecido como Teller-Ulam, ainda obtém muito do seu poder da reação em estilo de fissão contida na própria arma. Diferentemente da bomba atômica, que tem um limite de quão poderosa ela pode ser, a reação de fusão usada na bomba de hidrogênio não tem limite quanto a seu poder destrutivo.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível