Mais
×

A diferença entre um federalista e um anti-federalista

Os federalistas e anti-Federalistas eram grandes adversários políticos durante a elaboração da Constituição dos EUA. Eles debateram e discordaram sobre o legado da Revolução Americana a respeito da forma que governo dos EUA deveria ser criado. Os dois grupos discutiram os méritos da Constituição entre os anos de 1787 e 1790, período no qual as colônias resolviam sobre a ratificação da Carta. Os federalistas, eventualmente, conseguiram fazer com que a sua Constituição fosse ratificada por todos os 13 estados, sendo Rhode Island o último a fazê-lo, em 29 de maio de 1790.

Federalistas e anti-federalistas discordaram sobre assuntos importantes durante a fundação dos Estados Unidos (Comstock/Stockbyte/Getty Images)

Legado da Revolução Americana

Os ideais revolucionários americanos de liberdade e auto-governo foram promovidos publicamente tanto pelos federalistas quanto pelos anti-federalistas, mas eles tinham ideias muito diferentes sobre a forma de promover esses princípios. De acordo com o historiador da Universidade de Syracuse Ralph Ketcham, os federalistas defendiam uma sociedade de estilo Inglês com base em forte crescimento comercial, na prosperidade nacional e na noção de império mundial. Os anti-federalistas, por outro lado, viam o sucesso da Revolução Americana como uma rara oportunidade de conseguir um governo republicano real.

Governo federal forte

Os federalistas apoiaram a criação de um governo central forte, com autoridade sobre todas as 13 colônias. Seus opositores, no entanto, eram radicalmente contra esse órgão concentrado que controlaria os cidadãos a partir de uma capital remota, como foi o caso em Londres e todos as outras estruturas centralizadas do mundo. Os anti-federalistas apoiaram a ideia de que cada estado deveria ser soberano e ter seu próprio governo independente. Este ideal foi promovido por Thomas Jefferson como uma espécie de republicanismo agrário.

Apoio à Constituição

Os defensores da Constituição assumiram o nome de federalistas, embora o documento não apoiasse uma "federação" real ou uma liga de governos. O historiador Ketcham diz que o grupo adotou esse rótulo para se identificar com a opinião popular, que foi fortemente contra a ideia de governo nacional e a favor de uma federação. Os anti-federalistas se opuseram à Constituição pois desejavam um sistema puramente federal, sendo eles os verdadeiros federalistas.

Classe social

Os anti-federalistas eram, em sua maioria, agricultores e comerciantes que acreditavam na ação da comunidade local, enquanto os federalistas vinham de uma classe mais rica de comerciantes e fazendeiros is quais se beneficiaram de acordos de comércio exterior e das condições econômicas estáveis. Os anti-federalistas eram críticos do poder centralizado porque pensavam que este apenas sustentaria os interesses da classe dominante rica, em vez de representar os anseios e direitos dos cidadãos locais.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article