Mais
×

Diferença entre flores completas e incompletas

Atualizado em 23 março, 2017

A flor é a estrutura reprodutiva da planta. Ela atrai polinizadores que carregam o pólen para outras flores. Quando o pólen se funde com o óvulo, uma semente é formada e a flor, então, forma uma fruta para protegê-la.

Uma flor pode ser completa ou incompleta (Thinkstock Images/Comstock/Getty Images)

Completa e incompleta

Além de pétalas, a maioria das flores tem um estame, um pistilo e sépalas. Se uma flor tiver todas essas quatro partes, os botânicos a consideram "completa". Uma rosa, por exemplo, é uma flor completa. Se uma dessas partes estiver faltando, a flor é considerada "incompleta". A begônia é uma flor incompleta, pois suas flores têm uma estame ou um pistilo, mas não ambos.

Uma rosa é uma flor completa (Siri Stafford/Photodisc/Getty Images)

Estame e pistilo

O estame é o órgão reprodutor masculino da flor, e o pistilo é o feminino. Os botânicos também dividem as flores em perfeitas ou imperfeitas. As flores perfeitas têm órgãos masculinos e femininos funcionais, mesmo que faltem pétalas e sépalas. As flores imperfeitas não têm um estame ou um pistilo e por isso são sempre incompletas.

A begônia é uma flor imperfeita e também incompleta (George Doyle/Stockbyte/Getty Images)

Sépalas e pétalas

As sépalas são estruturas verdes e parecidas com folhas que envolvem uma flor em desenvolvimento e a protegem até que ela esteja pronta para se abrir. O conjunto das sépalas é chamado de cálice. As pétalas são projetadas para atrair polinizadores. Elas geralmente são partes muito coloridas e perfumadas da flor e, muitas vezes, têm marcas para atrair insetos.

O cálice protege os brotos até que eles abram (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)
Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article