Mais
×

A diferença entre a Primeira Comunhão e a Confirmação

Atualizado em 20 julho, 2017

No catolicismo e na maioria das outras denominações cristãs, a Eucaristia e a Confirmação representam dois dos sacramentos mais importante que uma pessoa pode receber. Em cada um desses ritos, o destinatário é dotado de graças especiais que trabalham para aumentar sua habilidade para viver uma vida santa. Esses dois sacramentos, contudo, são muito diferentes um do outro, na maneira pela qual cada um é administrado, o que cada um simboliza e que cada um produz.

A criança recebe sua Primeira Comunhão no sacramento da Eucaristia (Digital Vision/Photodisc/Getty Images)

Como a Eucaristia é administrada na Primeira Comunhão

Dependendo da denominação cristã, um pastor ou padre realiza um ritual no qual o pão e o vinho são oferecidos em sacrifício, da mesma forma que Cristo fez na Última Ceia. Após esse ritual, o sacerdote ou ministro oferece a cada destinatário parte dessa refeição, apresentando ao destinatário o pão ou o vinho e dizendo "o corpo de Cristo" ou "o sangue de Cristo", respectivamente. O destinatário mostra sua aceitação dessa declaração, dizendo "Amém" antes de receber o pão ou o vinho.

O que a Eucaristia simboliza e produz

A Primeira Comunhão representa a chegada a uma idade do destinatário que é considerada a primeira idade suficiente para entender os efeitos profundos da Eucaristia. No catolicismo e na maioria das outras denominações cristãs, acredita-se que a Eucaristia simboliza a unidade e produz o alimento. A crença na unidade provém dos escritos de São Paulo, que diz: "Uma vez que há um só pão, nós, embora sendo muitos, formamos um só corpo, porque todos participamos do mesmo pão" (1 Coríntios 10:17 ESV). Ao mesmo tempo, a maioria das denominações cristãs acreditam que a Eucaristia é literalmente ou simbolicamente o corpo de Cristo, e o seu consumo nutre não só o corpo sob a aparência de pão, mas também a alma através da santidade de Cristo.

Como a confirmação é administrada

Apesar de ser um sacerdote ou ministro que normalmente administra esse sacramento, as denominações cristãs com uma hierarquia ordenada geralmente têm um bispo para as confirmações diocesanas de rotina. O ministro pergunta ao destinatário escolhido qual a sua inspiração para a vida futura e a santidade, e o destinatário geralmente responde com o nome de um santo. O então ministro passa a mão sobre a testa do destinatário com o óleo da unção, dizendo: "[Nome escolhido], receba o dom do Espírito Santo". Como as denominações cristãs preferem que o destinatário seja devidamente catequizado antes que ele possa receber o sacramento, um padrinho (superintendente de educação religiosa) geralmente também está presente.

O que a confirmação simboliza e produz

Estritamente falando, o sacramento da confirmação simboliza exatamente o que ele produz: os dons do Espírito Santo. Na confirmação, o destinatário recebe os dons do Espírito Santo e torna-se um membro de pleno direito da igreja. Mais especificamente, no entanto, Tomás de Aquino em sua "Suma Teológica", observa que "a unção significa a doação da força para o conflito espiritual; o bálsamo contido na crisma, o perfume da virtude e do bom odor de Cristo; o sinal da cruz na testa, a coragem de confessar Cristo antes de todos os homens; a imposição das mãos e o golpe no rosto, a inscrição no serviço de Cristo que traz a verdadeira paz para a alma".

bibliography-icon icon for annotation tool Cite this Article