Mais
×

Diferença entre um rottweiler americano e um alemão

Atualizado em 10 abril, 2017

Se você colocar dois cães de qualquer raça próxima, com exceção o rottweiler lado a lado, sua forma geral, ou conformação, seria a mesma coisa. Mas se colocar um rottweiler puro-sangue "alemão" ao lado de um "americano", você poderá se perguntar qual era o impostor. No papel, os padrões da raça estabelecidos pela Sociedade Americana de Canis e seu homólogo alemão aparecer parecem próximos. Mas, na prática, as diferentes interpretações produziram cães com diferenças marcantes.

Um filhote de rottweiler (JLSnader/iStock/Getty Images)

Como o rottweiler ganhou esse nome

Quando legiões romanas partiram para conquistar a Europa, seus suprimentos de alimentos de animais quatro patas tiveram que marchar junto com eles. O trabalho de manter esses rebanhos alinhados foi dado para os fortes cães mastim, qualificados em duas áreas: pastoreio e guarda. Muito tempo depois dos romanos serem depostos e esquecidos da terra que hoje conhecemos como a Alemanha, os descendentes de seus cães permaneceram, continuando a pastorear o gado e proteger as casas dos seus novos mestres. Por volta de 700 d.C., depois que um duque local ordenou a construção de uma igreja no local de antigos banhos romanos, as escavações revelaram as ruínas de telhas vermelhas de vilas romanas, e de lá, a cidade de Rottweil, que significa vila vermelha, de onde veio o seu nome. O Allgemeiner Deutscher Rottweiler Klub (ADRK), a Sociedade Alemã Geral de Rottweilers, foi formada em 1921 e três anos mais tarde publicou o padrão da raça usado ainda hoje.

Padrões de criação alemã comparada a americana

Aos olhos da Sociedade Americana de Canis (AKC), filhotes de todas as raças se qualificam para ser registrados como raça pura, desde que ambos os pais sejam registrados puros. A AKC deixa a gestão da criação para criadores. Por sua vez, a ADRK assume um papel muito mais rigoroso de fiscalização para garantir que todos os rottweilers alemães obedeçam um padrão da raça uniforme. O registo não é um processo automático: cães jovens são submetidos a testes rigorosos para garantir que cumprem os padrões da organização, tanto em corpo como em temperamento. Eles são cuidadosamente examinados para detectar defeitos físicos e genéticos, como também são medidos para certificar que todas as proporções estão corretas. Para testar as reações, os cães são confrontados com simulações de situações ameaçadoras -- timidez excessiva ou excesso de agressividade são duas causas de impedimento. Para ser elegível para fazer filhotes, os cães precisam passar por um segunda e ainda mais exigente série de testes antes de seus proprietários receberem a luz verde para reproduzir. Mas, mesmo assim, haverá certas condições.

Batendo cabeças sobre os formatos da cabeça

Quando as pessoas se referem a rottweillers alemães e americanos, eles não estão necessariamente falando de país de origem dos cães, embora muitos criadores norte-americanos insistam em obter de seus cães da Alemanha. O principal ponto de discórdia envolve diferentes interpretações do ângulo ideal do arco zigomático, a maçã do rosto que se estende por todo o crânio abaixo das órbitas. O arco zigomático influencia fortemente a forma do rosto e do focinho de um cão. O que a ADRK denominou como ideal foram arcos zigomáticos arqueados ou "acentuados" e um nariz "bem desenvolvido", "mais largo que arredondado". Em termos de aparência, isso se traduz em um rosto que lembra de um tempo dos mastins. Ao longo do tempo, porém, uma "mudança negativa dramática no arco zigomático e nos focinhos" tem tomado lugar nos EUA, como escreveu Steve Wolfson, um membro do conselho associação americana de criadores de rottweiler. A preferência por parte de alguns criadores e julgadores de exibições por arcos zigomáticos menos profundos produziu cães com focinhos mais longos e estreitos e formato de cabeça que lembram mais pastores alemães que mastins.

O rottweiler alemão tem um arco zigomático arqueado e um focinho mais curto e largo (TijanaVanna/iStock/Getty Images)

Outras diferenças

Em 1999, a Alemanha proibiu a prática de amputação de caudas, para que todos os rottweilers de lá as abanem inteiras, enquanto que, nos Estados Unidos, a AKC exige caudas amputadas para exibição de cães. Os padrões norte-americanos e alemães da raça concordam em altura, mas a AKC não especifica um peso recomendado. Os críticos afirmam que isso levou a um espécime americano mais magro, esguio e menos musculoso. Em termos de temperamento, o ADRK enfatiza em apresentar o lado caseiro da natureza do rottweiler: "um caráter básico calmo e apaixonado por crianças, muito dedicado, obediente e ansioso para trabalhar". Embora a AKC valorize uma disposição "calma, confiante e corajosa", ela tem uma grande tolerância para "uma atitude agressiva ou beligerante com respeito a outros cães" nas exibições, o que a ADRK jamais faria, e a recomendação dos julgadores é que rottweilers "não devem ser criticados" por isso.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article