Saúde

Diferenças entre as compressas fria e quente

Escrito por sandra koehler | Traduzido por andressa de melo santos
Diferenças entre as compressas fria e quente

Compressas podem aliviar a dor

jesus_p_orantes-08 image by Paco Ayala from Fotolia.com

Terapias de quente e frio têm sido uma importante ferramenta no controle da dor e da inflamação, além de serem, por séculos, uma forma de ajudar na cura.

Outras pessoas estão lendo

Compressa quente

As compressas quentes, ou terapia de calor, são um método usado para aliviar dores crônicas ou machucados que não estão inflamados ou inchados. Também é um método efetivo de aliviar tensões musculares. A compressa aumenta o fluxo sanguíneo na área e pode aumenta a elasticidade dos músculos e do tecido conjuntivo ao redor das articulações, minimizando, assim, a rigidez e a dor, além de preparar os músculos para trabalhar mais eficientemente. A aplicação da compressa quente não pode durar mais que 15 a 20 minutos por vez. O calor úmido penetra mais efetivamente do que o seco. Para assegurar que a temperatura permaneça quente sem queimar, uma camada de toalha protetora deve ser usada entre a pele e a compressa.

Quando não usar a compressa quente

Compressas quentes não são recomendadas para lesões agudas em que há inflamação ou inchaço. Outros casos incluem doenças cardíacas, diabetes, doença vascular periférica e feridas abertas. Antes de tentar o uso da compressa, consulte primeiro seu médico para minimizar o risco de qualquer reação adversa.

Compressa fria

As compressas frias, ou terapia fria, são um método efetivo de reduzir inflamações ou inchaços em uma lesão aguda. Uma lesão aguda envolve sintomas que aparecem rapidamente, geralmente de uma única atividade ou machucado, e que podem durar por três dias. O uso do gelo ou de compressa fria contrai os vasos sanguíneos e diminui a dor e a inflamação. Compressas frias também são uma ferramenta efetiva para combater dores crônicas e problemas de lesões, especialmente depois das atividades físicas. A aplicação de uma compressa fria não deve durar mais que 15 a 20 minutos por vez. A reaplicação deve ser acontecer se os sintomas continuarem, mas só depois da pele voltar à temperatura normal.

Quando não usar compressa fria

As compressas frias não são recomendadas antes de uma atividade física, pois a contração dos vasos sanguíneos pode causar maiores problemas. Outros casos incluem a dormência e a alteração de sensibilidade, frequentemente vistas no fenômeno de Raynaud, e hipersensibilidade ao frio. Antes de tentar o uso da compressa fria, consulte seu médico para diminuir o risco de reações adversas.

Terapia de choque

A terapia de choque é a utilização da fria e da quente. Tipicamente usada em banhos, a área machucada é submergida na água fria e imediatamente depois na água quente. A teoria por trás das temperaturas de choque é que a rápida dilatação ou abertura seguida de uma constrição ou estreitamento dos vasos sanguíneos tem a capacidade de eliminar a inflamação. O mesmo efeito pode ser produzindo usando uma bolsa de gelo e uma almofada quente. Esta forma de terapia não deve ser usada com problemas de diminuição de sensação, como danos dos nervos.

A diferença entre a compressa quente e a fria

A aplicação da compressa quente ou fria é um método efetivo de controlar a dor resultante de uma lesão. Tipicamente, frio ou gelo são usados logo após um machucado. O calor é útil no tratamento de problemas crônicos. Quando uma lesão continua, a melhor opção é consultar um médico especializado, como seu médico da família ou um fisioterapeuta, para garantir que a escolha do tratamento é a mais segura e a mais adequada para reduzir os sintomas.

Não deixe de ver

Comentários

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível

Direitos autorais © 1999-2014 Demand Media, Inc.

O uso deste site constitui plena aceitação dos Termos de Uso e Política de privacidade de eHow. Ad Choices pt-BR

Demand Media