Diferenças entre mexilhões e cracas

Escrito por justin schamotta | Traduzido por giovana moretti
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Diferenças entre mexilhões e cracas
As conchas de muitas espécies de mexilhões são de cor azul bem escura (Zedcor Wholly Owned/PhotoObjects.net/Getty Images)

Mexilhões e cracas são pequenas criaturas com concha que colonizam superfícies sólidas em mares rasos e zonas entremarés. Como eles podem passar bastante tempo fora da água, ambos são adaptados a reter o líquido. Há muitas diferenças entre eles; a mais notável é a concha em forma oval do mexilhão comparada à forma mais arredondada das cracas.

Outras pessoas estão lendo

Descrição

Mexilhões são moluscos bivalves, relacionados a outros moluscos como as ostras e os berbigões. Os bivalves possuem conchas que consistem em duas metades lisas e idênticas que enclausuram o corpo completamente. As cracas são crustáceos relacionados aos caranguejos e lagostas, e possuem conchas de calcita ásperas. Enquanto as espécies de mexilhões estão presentes tanto na água doce quanto na água salgada, as cracas são criaturas estritamente marinhas. Elas são hermafroditas, enquanto os mexilhões são gonocorísticos, o que significa que eles se dividem entre indivíduos machos e fêmeas.

Alimentação

Os mexilhões se alimentam por meio de filtração, drenando a água do mar em suas conchas e filtrando quaisquer partículas suspensas. As cracas também são filtradoras, mas ao invés das conchas, usam membros especializados para peneirar o plâncton da água. Os membros são recolhidos através de uma abertura quando elas não estão se alimentando, e dois "pratos" deslizam para selar a abertura. Tanto os mexilhões quanto as cracas podem coletar toxinas e poluentes perigosos em seus tecidos, tornando-os úteis para medir a poluição da água.

Desenvolvimento das colônias

Tanto os mexilhões quanto as cracas preferem estabilizar as colônicas em espaços maiores que 4 m, de acordo com um estudo no Journal of Experimental Marine Biology and Ecology (Jornal de Biologia e Ecologia Marinha Experimental, em tradução livre). O estudo, feito no Golfo do Maine, demonstrou que as colônias dos mexilhões se desenvolviam mais devagar que as das cracas, mais resistentes. Enquanto elas prosperaram durante o outono e o inverno, as colônias dos mexilhões lutaram para sobreviver. As cracas crescem rapidamente e se reúnem em grandes números para aumentar as chances de sobrevivência contra seus numerosos predadores.

Competição

Um estudo no jornal Oecologia descreve como a presença de cracas encoraja os mexilhões a se estabilizarem. Uma área de rochas repleta de cracas aumenta a sobrevivência tanto delas quanto dos mexilhões. Por outro lado, a presença de mexilhões tem um efeito negativo sobre a densidade das cracas.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível