Diferenças entre telefones dos EUA e da Europa

Escrito por aaron charles | Traduzido por lynn blanch
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Diferenças entre telefones dos EUA e da Europa
Um mundo globalizado, mas dividido em telefonia (Photos.com/Photos.com/Getty Images)

Em um mundo globalizado, conectado por internet e televisão via satélite, empresas telefônicas ainda encontram formas de interferir na facilidade de comunicação. Telefones exclusivos, redes móveis, equipamentos incompatíveis e variadas infraestruturas públicas impõem obstáculos na telefonia internacional. Essas diferenças são mais visíveis entre os EUA e a Europa.

Outras pessoas estão lendo

Telemóveis

Telefones celulares dos EUA e da Europa não diferem muito, pois são feitos pelos mesmos fabricantes globais, como Samsung, Apple e Nokia. Mas as redes de telefonia celular possuem divergência significativa. A partir de 2011, no entanto, a integração tem aumentado. Por exemplo, os países europeus utilizam a rede "Global System for Mobiles" (Sistema Global para Celulares), que permite fácil conexão internacional entre países europeus. Algumas empresas de telefonia celular dos Estados Unidos, como a T-Mobile e a Cingular, estão agora configurando seus telefones para funcionarem com essa rede.

Telefones fixos

Telefones de rede fixa, ou telefones fixos, como são chamados na Europa e no Brasil, também não apresentam muitas diferenças entre marcas americanas e europeias. Mas os métodos de conexão de companhias telefônicas locais, sim, diferem. Por exemplo, se você tiver um telefone de parede que trouxe da sua cozinha na América, quando tentar ligá-lo em uma rede de telefone na Europa, ele poderá não funcionar. Será necessário um adaptador. Alguns locais, no entanto, estão fazendo a conversão para o formato americano.

Orelhão ou telefone público

Telefones públicos podem estar quase extintos, mas ainda são encontrados pelas cidades, possuindo uma grande diferença entre o padrão americano e o europeu. Muitos telefones públicos europeus não aceitam moedas, mas apenas cartões telefônicos pré-pagos, como o sistema brasileiro. A desvantagem é que, em vez de pagar por apenas um telefonema com algumas moedas, você terá que comprar as diversas chamadas telefônicas de um cartão. Uma exceção é a Inglaterra, onde telefones públicos aceitam moedas e cartões de crédito.

História

As diferenças entre o serviço de telefonia e tecnologia da Europa e dos EUA voltam aos primórdios, quando a telefonia era apenas emergente. De acordo com o livro “America Calling: A Social History of the Telephone to 1940” (A América Chama: Uma História Social do Telefone até 1940), enquanto os empresários americanos viram o serviço de telefone como um serviço comercializável ao consumidor, as administrações europeias viram o telefone simplesmente como um recurso público que atendia a uma necessidade básica de ligação. Além disso, enquanto em áreas rurais da América famílias tinham telefones particulares para manterem-se conectadas, os europeus, neste momento, contavam com serviços telefônicos estrategicamente colocados nas comunidades mais próximas. No século 21, porém, o telefone celular tem trazido mais semelhanças do que diferenças no uso de telefone entre americanos e europeus.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível