Diferenças nas substâncias branca e cinzenta

Escrito por ethan schwartz | Traduzido por ricardo soares
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Diferenças nas substâncias branca e cinzenta
Este modelo de cérebro diferencia a substância cinzenta na parte externa, da substância branca na parte interna (BananaStock/BananaStock/Getty Images)

Os cientistas e médicos encontram dois tipos principais de tecido quando examinam amostras do cérebro e da medula espinhal -- substâncias branca e cinzenta. Esses dois tipos de tecidos estão localizados em áreas diferentes do sistema nervoso central, contêm diferentes tipos de células e desempenham funções diferentes. Eles também são diferenciados por doenças; os diferentes sintomas neurológicos dependem parcialmente de se a condição ataca a substância branca ou cinzenta. Para manter as pessoas saudáveis, tanto a substância cinzenta como a branca precisam estar intactas.

Outras pessoas estão lendo

Anatomia neuronal

As células mais importantes no cérebro e medula espinhal são os neurônios, que permitem que você pense, sinta, se mova e fale. Há dois elementos básicos de um neurônio: o corpo da célula, que é aproximadamente esférico, recebendo sinais de muitos outros neurônios; e o axônio, longo e fino, ligado ao corpo da célula, ajuda o neurônio a enviar mensagens para os outros. Essa anatomia, com uma parte "escutando" e outra "falando", permite que os neurônios comuniquem-se, o que permite que você sinta ou veja algo, decida e aja.

Propriedades celulares da substância cinzenta

A substância cinzenta é composta principalmente por corpos de células neuronais, que estão todas agrupadas em locais específicos no cérebro e na medula espinhal. Toda a substância cinzenta no cérebro exterior forma o córtex cerebral, que executa quase todos os seus pensamentos conscientes. Há também a substância cinzenta mais profunda no cérebro; estruturas como o tálamo e os gânglios basais também são substância cinzenta, e ajudam-no a sentir o ambiente e coordenar seus movimentos.

Propriedades celulares da substância branca

A substância branca é composta principalmente por axônios que estão ligados a corpos celulares neuronais. Ela recebe a sua cor branca porque a maioria desses axônios são revestidos por uma bainha chamada mielina, a qual ajuda a acelerar a condução nervosa, de modo que as mensagens possam viajar mais rápido através do cérebro. A substância branca também contém células de suporte chamadas neuróglias, que ajudam os neurônios a receberem nutrição e protegem o cérebro de infecções.

Diferenças na localização

No cérebro, a substância cinzenta compõe a superfície externa e algumas estruturas mais profundas, enquanto que a substância branca tende a compor a parte do cérebro mais próxima do centro. Portanto, uma lesão no cérebro que não penetre muito fundo, é mais propensa a ferir a substância cinzenta do que a branca. Essa distribuição é invertida na medula espinhal, a substância cinzenta compõe o seu centro, enquanto que a substância branca compõe a parte exterior.

Implicações de doenças

Diferentes doenças do sistema nervoso afetam partes diferentes do cérebro, e, portanto, causam sintomas diferentes. Muitas doenças que afetam a cognição e pensamento mais elevado envolvem a substância cinzenta do córtex cerebral, por exemplo, os cientistas descobriram que os pacientes com a Doença de Alzheimer perdem corpos celulares na substância cinzenta, de acordo com um artigo de 2003, "Dinâmica da perda de substância cinzenta na Doença de Alzheimer'', em "The Journal of Neuroscience". As doenças que afetam a substância branca podem afetar a transmissão dos sinais neurais, mas podem não afetar a cognição; a esclerose múltipla é um exemplo.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível