Como distinguir rigor mortis de um espasmo cadavérico

Escrito por flora richards-gustafson Google | Traduzido por fellipe jardim
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como distinguir rigor mortis de um espasmo cadavérico
Saiba distinguir rigor mortis de rigidez cadavérica em análise forense (Darrin Klimek/Digital Vision/Getty Images)

O corpo de uma pessoa que morre entra em um estado de rigidez cadavérica dentro de duas a quatro horas. Durante este tempo, as alterações químicas dentro do corpo fazem com que os membros e os músculos enrijeçam por até quatro dias. Um espasmo cadavérico, também denominado rigor mortis, ocorre em casos raros e trata-se do enrijecimento prematuro de um cadáver antes que rigor mortis ocorra. É possível confundir um espasmo cadavérico com rigor mortis.

Nível de dificuldade:
Moderadamente desafiante

Outras pessoas estão lendo

Instruções

  1. 1

    Procure e examine indícios encontrados próximo ou sobre o corpo do falecido, incluindo lesões corporais, evidências anamnésicas e ambientais. Os cientistas forenses encontram indícios anamnésicos com base em rotinas ou hábitos diários de um indivíduo. Evidência ambiental refere-se a itens encontrados perto de um corpo, tais como pegadas ou artigos quebrados.

  2. 2

    Estabeleça o tipo atual de mudanças post mortem no corpo. Segundo o professor J. Derrick Pounder, chefe do Departamento de Medicina Forense da University of Dundee’s, dos EUA, estas mudanças incluem algor mortis, rigor mortis, livor mortis e decomposição post mortem, adipocere ou mumificação. Algor mortis refere-se ao resfriamento gradual de um cadáver antes que rigor mortis ocorra. Um espasmo cadavérico sempre acontece antes de rigor mortis; portanto, um corpo que passou o estado rigor mortis não terá espasmos cadavéricos.

  3. 3

    Descubra a temperatura do corpo do falecido para ajudar a estabelecer o momento da morte. É possível obter leituras mais precisas da temperatura corporal de um cadáver através do reto ou fazendo um furo no abdômen e colocando um termômetro químico na abertura. É melhor obter uma leitura de temperatura o mais rápido possível. Quanto mais próxima ela estiver da temperatura do ambiente circundante, mais tempo decorreu após a morte. No entanto, leve em conta fatores como camadas de roupa, temperatura do solo e umidade.

  4. 4

    Saiba o grau de atividade do indivíduo antes da morte. Pounder afirma que, por razões desconhecidas, um corpo pode experimentar um espasmo cadavérico post mortem após um episódio de violência ou emoções intensas. Um cadáver segurando firmemente uma arma, um objeto de defesa ou itens ambientais em torno do corpo -- como grama, por exemplo -- podem indicar um espasmo cadavérico.

  5. 5

    Observe os movimentos involuntários do corpo do falecido. Espasmos cadavéricos acontecem no momento da morte e persistem através da rigidez cadavérica. Em alguns casos, o organismo pode parecer se mover ou contrair à medida que os músculos e as articulações começam a contrair durante tal espasmo, antes de rigor mortis. Durante este tempo, os músculos podem enrijecer tanto que é preciso uma força considerável para movê-los ou abrir a mão.

Dicas & Advertências

  • De acordo com Pounder, é possível estabelecer o momento da morte usando o método da taxa ou o método de concorrência. O método da taxa mede as mudanças que ocorrem no corpo após a morte. O método de concorrência analisa os detalhes da atividade em torno da morte. A hora em que um relógio parou de funcionar em virtude de danos durante uma luta, por exemplo, pode indicar a hora aproximada da morte.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível