Doença fibrose intersticial pulmonar

Escrito por constance barker | Traduzido por vanessa santos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Doença fibrose intersticial pulmonar
Doenças pulmonares podem ser evitadas com hábitos simples, como parar de fumar (Jupiterimages/liquidlibrary/Getty Images)

A doença fibrose intersticial pulmonar é inclusa em um grupo de distúrbios que afetam o tecido pulmonar, sendo chamada doença intersticial pulmonar ou DIP. Inchaço e cicatrizes nos sacos aéreos ocorrem formando nos pulmões tecido fibroso e tornando a respiração difícil. A cicatriz é irreversível, mas tratamentos podem ser capazes de impedir o progresso da doença.

Outras pessoas estão lendo

Causas

A causa exata da fibrose pulmonar ainda é desconhecida, mas certos fatores podem contribuir a ela, inclusive exposição ocupacional e ambiental a toxinas ou poluentes, que seriam a inalação de asbestos, pó metálico e certos produtos químicos, como a clorinda e a amônia. Tratamento radioativo pode também cicatrizar o tecido pulmonar e causar tecido fibroso. Doenças autoimunes como o lúpus, escleroderma e artrite reumatoide também podem provocar lesões.

Sintomas

Sintomas da doença pulmonar fibrolítica incluem respiração ofegante, tosse seca, dor no peito, falta de ar, cor azul nos lábios e unhas e alargamento dos dedos. Esses sintomas piorarão progressivamente, com falta de ar ocorrendo na vida cotidiana, como na hora de se vestir ou na limpeza da casa.

Diagnóstico

Distúrbios graves como a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), asma e insuficiência cardíaca podem mimetizar os sintomas das doenças intersticiais pulmonares. Seu médico deve descartá-las a fim de confirmar o diagnóstico. Um raio-X do tórax descartará outras condições pulmonares. Uma tomografia computadorizada de alta-resolução pode revelar o tecido pulmonar com mais detalhes em relação a tomografia computadorizada regular. Em um teste de função pulmonar, você assopra um instrumento, chamado espirômetro, que mensura o fluxo dos seus pulmões e qual a quantidade de ar que ele pode segurar. Em uma broncoscopia, um pequeno tubo flexível passa por sua garganta abaixo até seu pulmão, onde ele removerá uma amostra que será usada para a biópsia, que confirmará o diagnóstico.

Tratamento

O tratamento dependerá do que está causando a lesão pulmonar. Quando ela é causada por agentes ambientais ou ocupacionais, privar-se da exposição aos irritantes pode ser tudo o que é necessário. Corticosteroides podem reduzir a inflamação nos pulmões, mas eles têm graves efeitos colaterais. Drogas imunossupressoras como o Imuran e Cytoxan podem ser prescritas sozinhas ou combinadas com corticosteroides para o tratamento, e podem auxiliar na função pulmonar. Seu médico pode recomendar terapia de oxigênio. Ela não impedirá a lesão, mas pode ajudar a facilitar a respiração.

Mudanças do estilo de vida

Pare de fumar, pois isso irrita ainda mais o tecido pulmonar. Pergunte ao seu médico sobre como conseguir largar o vício. Coma uma dieta rica em frutas e vegetais para lhe fornecer energia. Discuta com seu médico onde se inscrever para um programa de reabilitação pulmonar. Esses programas visam como controlar a falta de ar com exercícios aeróbios e como seguir sua rotina diária normalmente.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível