Doença da mandíbula canina desintegrada

Escrito por kimberly sharpe Google | Traduzido por angela spada
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Doença da mandíbula canina desintegrada
Cães de apenas 6 meses de idade podem sofrer perda mandibular decorrente de doença periodontal (dog image by Michal Tudek from Fotolia.com)

A doença periodontal avançada pode causar a doença da mandíbula desintegrada, na qual 30% ou mais da mandíbula canina se perde. A doença ocorre quando o cão sofre inflamação profunda das estruturas de apoio ao redor dos dentes. A inflamação leva a abscessos, que podem formar bolsas dentro do osso, causando lenta erosão e destruindo-o. Depois que a doença alcança o estágio de perda do osso mandibular, é irreversível, de acordo com o site Pet MD.

Outras pessoas estão lendo

O início

A inflamação em torno de apenas um dente resultará em formação de doença periodontal. O dente começará a sofrer perda de fixação da gengiva, tecido e osso. A gengiva recuará gradualmente do dente. O recuo da gengiva permite a infiltração de bactérias sob a raiz e estas penetrem no osso, formando grandes bolsas que o desintegram, à medida que a doença avança. O dente se soltará, formar-se-ão abscessos e o cão sentirá uma dor considerável. Cães de apenas 6 meses de idade podem sofrer de doença periodontal, segundo o site All Pets Dental.

Diagnóstico

Um veterinário faz o diagnóstico do estado do cão por meio de exame. Pode-se obter uma radiografia para melhor visualizar o osso mandibular e os dentes. O veterinário poderá determinar qual é o estágio da doença periodontal e a quantidade exata de perda óssea ocorrida dentro da mandíbula do cão. A doença periodontal avançada, que provoca substancial perda óssea, resultará em fratura que ocorre facilmente, de acordo com a American Veterinary Dental Society.

Tratamento

Segundo a Atlantic Coast Veterinary Conference, a melhor maneira de tratar a doença periodontal avançada em um cão é remover o dente infectado para ajudar a eliminar a infecção crônica e a dor. Para reter o dente, será necessário que o veterinário realize um procedimento cirúrgico. O dente deve ser esfoliado, para remover todo o cálculo. Depois de esfoliado, o dente é polido, usando uma borracha em um instrumento rotatório. A área da raiz e a cavidade de perda óssea é completamente irrigada, usando clorexidina para remover as bactérias. Um retalho de tecido deve ser fixado ao dente na patologia periodontal avançada para compor a gengiva perdida durante o período de ataque da doença.

Reparo de fístula oronasal

Uma fístula oronasal é um orifício na cavidade nasal do cão. Ocorre devido a excessiva perda óssea sofrida durante a doença periodontal do dente superior, mandíbula e gengivas. O orifício provoca espirros no cão e mutias vezes há secreção nasal. Depois de infectado, o dente precisa ser extraído, devendo-se realizar o reparo cirúrgico do orifício, geralmente usando o retalho de um tecido.

Cuidados pós-operatórios

Depois do tratamento cirúrgico na boca do cão é permito que o animal retorne para casa dentro de um ou dois dias após a cirurgia. O cão receberá antibióticos para impedir que quaisquer bactérias remanescentes formem novas bolsas dentro do osso mandibular. Ele também precisará de medicação para dor a fim de ajudá-lo a ficar confortável. Também deverá ser oferecida ao animal uma dieta de alimentos de fácil mastigação até sua completa recuperação.

Prevenção

A melhor maneira de cuidar da boca de um cão é prevenir a ocorrência de doença periodontal. A escovação regular de seus dentes ajudará a manter sua gengiva saudável e a eliminar bactérias. Numerosas guloseimas para mastigar e brinquedos também ajudam a limitar a placa e o acúmulo de tártaro na boca do cão. Visitas regulares ao veterinário para limpeza dental programada também ajudarão a manter sua saúde oral.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível