Mais
×

Doenças da deficiência de serotonina

Atualizado em 21 julho, 2017

A doença de deficiência de serotonina ocorre quando seus níveis caem a um nível doentio. A serotonina trabalha para regular o apetite, o humor, o sono e a função cognitiva. Na maioria dos casos, as mudança simples no estilo de vida podem reverter a deficiência desse neurotransmissor.

A redução de serotonina pode resultar em depressão e ansiedade (Pixland/Pixland/Getty Images)

O papel do triptofano

O aminoácido triptofano converte-se em serotonina, tornando-se fonte crucial do neurotransmissor para o cérebro. Quantidades insuficientes desse aminoácido podem levar à ansiedade, depressão e a outros sintomas de deficiência de serotonina.

Causas da deficiência de serotonina

A resistência à insulina, estresse, estilo de vida e uso excessivo de antidepressivos podem contribuir para uma queda nos níveis de serotonina. A exposição a pesticidas, bifenilos policlorados (PCBs) e alguns plásticos também podem degradar a serotonina e esgotar o triptofano.

Os sintomas da deficiência

A deficiência da serotonina se manifesta de várias maneiras, incluindo fadiga, disfunção cognitiva, ataques de pânico, comportamento compulsivo e ansiedade. A depressão é a mais comum e pode se apresentar de moderada a grave, variando em tempo de duração.

O papel de uma dieta saudável

Encontrado em produtos lácteos, peixes, aves, nozes e grãos, o triptofano tem um papel fundamental na prevenção da deficiência de serotonina. A cafeína e a ingestão de álcool devem ser limitadas, pois empobrecem tanto o triptofano quanto a serotonina no corpo. As dietas de baixo teor em proteína contribuem para a diminuição de aminoácidos essenciais, como triptofano.

Outras maneiras de aumentar os níveis de serotonina

Aumentar a exposição à luz solar natural, suplementos, meditação e pensamento positivo podem ajudar a aumentar e manter níveis de serotonina saudáveis.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article