Mais
×

Doenças degenerativas das articulações das patas dianteiras em cães

Atualizado em 21 novembro, 2016

Doença degenerativa nas articulações das patas dianteiras é a deterioração da cobertura de cartilagem das articulações ósseas. Cartilagens amortecem e protegem os ossos. Quando a cartilagem se desgasta, os ossos da articulação entram em contato uns com os outros, resultando em dor e inflamação. Doenças degenerativa da articulação podem chamadas como artrite ou osteoartrite. Podem ocorrer nas patas traseiras ou dianteiras.

Raças maiores são mais propensas a apresentar displasia coxofemural (let sleeping dogs lay. image by mdb from Fotolia.com)

Artrite

De acordo com especialistas, artrite (doença degenerativa da articulação) pode ser o resultado do envelhecimento normal e do desgaste nas articulações. A formação de saliências ósseas perto das juntas pode aumentar a dor. Doenças degenerativas são progressivas e pioram com o tempo. Uma lesão prévia também pode aumentar a probabilidade de um cão desenvolver artrite. Fraturas ou ligamentos rompidos podem contribuir para o aparecimento desse tipo de doença. Displasia é uma condição congênita que torna os cães mais propensos a contrair artrite. É uma anomalia que pode afetar a formação, o formato ou tamanho da articulação. Especialistas dizem que a artrite causada pela displasia é conhecida como doença degenerativa secundária da articulação. A maioria das pessoas está familiarizada com displasia nas ancas, o que provoca problemas nas articulações das patas traseiras. Quando a displasia afeta as patas dianteiras, o resultado é de displasia do cotovelo. Na displasia do cotovelo existem várias deficiências possíveis que incluem o crescimento de saliências ósseas, formação inadequada do osso e a formação irregular da cartilagem.

Raças

Cães de raças de grande porte que são muito ativas são mais propensos a displasia do cotovelo do que cães menores; Rottweilers são particularmente vulneráveis, de acordo com veterinários. Outras raças vulneráveis incluem Bernese montanhês, cão de montanhas dos pirenéus, golden retrievers, São Bernardo, pastores alemães e labradores. Em muitos casos, os problemas começam a aparecer quando o cão tem seis meses de idade.

Sintomas

Os sintomas da doença degenerativa das patas da frente variam dependendo de sua gravidade. Uma mudança na forma de andar do cão e mancar com as patas dianteiras deixa evidente o problema. Embora geralmente afete ambas as patas da frente, uma pode parecer pior do que a outra. De acordo com veterinários, o cão pode se mover mais lentamente, pode "ficar duro" ao permanecer deitado por um período de tempo e pode ter dificuldades de se levantar. Escadas podem tornar-se um obstáculo e o cão pode não ser mais capaz de entrar em um carro. Também pode apresentar inchaço nas articulações. O cão também pode se queixar de dor quando a articulação for tocada.

Tratamento

Os métodos de tratamento para a esse tipo de doença geralmente incluem medicamentos e cirurgia. Os medicamentos incluem aspirina tamponada, anti-inflamatórios como o carprofeno, anti-inflamatórios não-esteroidais como Rimadyl e esteroides como a prednisona. A cirurgia artroscópica pode aumentar as chances do cão de uma recuperação normal. Outros tratamentos incluem fisioterapia, massagem e compressa.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article