Mais
×

A dose de fenobarbital em cães

Atualizado em 21 novembro, 2016

O fenobarbital é o medicamento mais comum prescrito para a epilepsia em cães e trata com sucesso convulsões em 80% dos casos, segundo o veterinário R. M. Clemmons, da Universidade da Flórida. Apesar e existirem potenciais efeitos colaterais, o benefício da redução das convulsões geralmente compensa o seu uso.

Os cachorros que sofrem com convulsões podem se beneficiar do anticonvulsivante fenobarbital (dog image by Mat Hayward from Fotolia.com)

Sobre o fenobarbital

O fenobarbital é um anticonvulsivante da família dos barbitúricos. Ele é barato e amplamente recomendado para o tratamento da epilepsia atuando em certos neurotransmissores no cérebro.

Determinar a dose

A dose típica do fenobarbital está entre 2 ou 4 mg por kg, o que depende do peso do seu cachorro e da gravidade e frequências das convulsões. A maioria dos veterinários iniciam o tratamento com um dose alta e reduzem-na se for necessário com a finalidade de controlar mais rapidamente as convulsões.

Dose inicial

Embora o fenobarbital tenha um efeito imediato, podem ser necessários alguns dias para que haja uma estabilização nos níveis plasmáticos. Sendo assim, muitos veterinários prescrevem uma "dose de carga", que é um pouco mais alta do que uma dose normal seria. Isso dura geralmente de 7 a 14 dias.

Ajustando a dose

Dependendo da maneira como o seu cachorro responde ao tratamento, a dose pode ser aumentada ou diminuída. Os níveis de fenobarbital no sangue são primeiramente testados após duas semanas de tratamento e então a cada três a seis meses depois disso, dependendo dos resultados da primeira análise. Se as convulsões forem reduzidas, a dose também pode ser reduzida.

Efeitos colaterais

O efeito colateral mais conhecido é o dano ao fígado. No entanto, os veterinário afirmam que isso é raro. O mais provável é que você observe um aumento do apetite, da sede e da quantidade de vezes que o animal urina. Os cachorros normalmente ganham peso, que pode não ser perdido. Eles também podem apresentar mudanças na personalidade, tornando-se mais ansiosos ou letárgicos.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article