As duas classificações de Colóides

Escrito por cynthia ruscitto | Traduzido por raissa oliveira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
As duas classificações de Colóides
A névoa é um coloide constituído por gotículas de água dispersas no ar (Jupiterimages/Polka Dot/Getty Images)

Toda a matéria consiste de uma substância puta ou da mistura de duas ou mais substâncias. Os coloides são misturas compostas de partículas dispersas em outra substância. Os químicos classificam um coloide de acordo com os estados físicos de seus constituintes, com a natureza da interação entre os seus componentes, bem como a natureza das partículas dispersas.

Outras pessoas estão lendo

Fases de um coloide

Sistemas coloidais contém duas fases: a fase dispersa e o meio de dispersão. A fase dispersa é a substância presente em menor quantidade. Ela é constituída por partículas que medem entre 1 e 100 nanômetros. O meio de dispersão é a substância no qual as partículas estão dispersas. Cada uma das duas fases pode ser um sólido, um líquido ou um gás. Partículas dentro de um sistema coloidal isolado permanecem dispersas e não sedimentam ou separam-se do meio de dispersão.

Estados físicos

Os coloides são tipicamente classificados de acordo com os estados físicos de suas fases constituintes. Aerossóis, espumas, emulsões, sóis e géis são tipos de coloides. Os aerosóis são gotículas líquidas ou partículas sólidas dispersas num meio gasoso. Neblina e fumaça são aerosóis. Quando um gás é disperso num meio líquido ou sólido, o coloide é chamado de uma espuma. O chantili é uma espuma composta de ar disperso em creme de leite. Uma emulsão, tal como maionese, se trata de um líquido disperso em outro líquido. O sol resulta da dispersão de um sólido em um líquido ou em outro sólido. Tintas e fluidos celulares são sóis. Géis, tais como gelatina e queijo, consistem em líquidos dispersos em um meio sólido.

Interalção entre as fases

Sistemas coloidais também são classificados de acordo com o tipo de interação que existe entre a fase dispersa e o meio de dispersão. Quando a fase dispersa e o meio de dispersão se atraem, o coloide é classificado como liofílico. As forças de atração entre os dois tornam o coloide estável. Se a fase dispersa é separada do meio de dispersão por meio de um processo tal como a evaporação, o coloide pode ser recriado pela simples adição de mais meio de dispersão. Consequentemente, coloides liofílicos são reversíveis. Gelatina e amido são exemplos de sistemas coloidais liofílicos. Os componentes dos sistemas coloidais liofóbicos se repelem. Quando misturados, não passam diretamente para um estado coloidal, consequentemente, sua preparação requer métodos especiais. Por esses coloides serem instáveis​​, eles exigem agentes estabilizantes para permanecer como coloides. Uma vez separados, não podem voltar à sua forma coloidal através da adição de mais um meio de dispersão, portanto, coloides liofóbicos são irreversíveis.

Natureza das partículas

Alguns químicos classificam os coloides com base na natureza das suas partículas. Coloides multimoleculares contém agregados de átomos ou moléculas, unidas por fracas forças de atração, chamadas de forças de Van der Waals. Coloides multimoleculares são liofóbicos. Partículas coloidais macromoleculares são moléculas gigantes constituídas por muitas moléculas pequenas, unidas por ligações covalentes. Coloides macromoleculares são liofílicos. Partículas coloidais de associação, chamadas micelas, possuem duas partes em sua estrutura molecular: uma parte liofílica e uma parte liofóbica. Detergente e sabão formam coloides de associação.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível