E. coli em cães

Escrito por jennifer hench | Traduzido por vanessa santos
E. coli em cães
Filhotes são mais suscetíveis à E. coli do que os adultos (Jupiterimages/Comstock/Getty Images)

E. coli, também conhecida formalmente como Escherichia coli, é uma infecção bacteriana no intestino grosso. Essa infecção pode prejudicar tanto humanos quanto outros mamíferos. Cachorros, principalmente filhotes, podem sucumbir aos efeitos colaterais negativos de uma infecção E. coli se não tratada corretamente. O termo utilizado para uma infecção decorrente de E. coli é colibacilose. Ela requer cuidados médicos de um veterinário assim que os sintomas forem descobertos.

Transmissão e filhotes

A bactéria E. coli reside em mamíferos de sangue quente. A baixa quantidade de bactéria no intestino delgado é normal e geralmente não representa risco aos cães. No momento que uma cadela que possui a bactéria no sangue dá a luz, os recém nascidos podem contrair a bactéria no útero. Os filhotes recebem anticorpos através da amamentação. Mas em filhotes que não são amamentados corretamente, a E. coli pode se espalhar e colocar a vida deles em risco.

Sinais e sintomas

Os sinais e sintomas associados com a infecção por E. coli em cães é semelhante aos de um problema intestinal em humanos. Leve seu filhote ou cão adulto ao veterinário se notar vômito, diarreia, letargia, desidratação ou mal estar de forma geral. Mesmo se o cão não tiver diarreia, ele deve ir ao veterinário se as fezes ficarem aquosas em conjunto com os outros sintomas.

Tratamento

Tratar um cão ou filhote dessa infecção envolve tratamento médico prescrito por um veterinário. Você não deve tratar o animal por conta própria. E. coli mal tratada pode resultar na morte do cão devido às condições cardíacas associadas com a desidratação prolongada, palpitações e falta de nutrientes conforme a infecção progride. O tratamento padrão para um cão diagnosticado com E. coli inclui tratamento hospitalar com fluidos intravenosos, antibióticos e avaliação contínua do cão.

Prevenção

A prevenção da E. coli é melhor conseguida mantendo um ambiente limpo e seguro para os cães. Evite alimenta-los com carne crua, que pode conter a bactéria. Para cadelas gestantes, é essencial prover um ambiente de parto estéril e limpo. Certifique-se de que os recém nascidos bebam o máximo possível do colostro, o primeiro leite produzido pela mãe, para que possam desenvolver um forte sistema imunológico. Cada filhote amamenta em um ritmo, mas estimula-los a se amamentar o mais rápido possível ajuda a garantir que a maior parte do colostro seja ingerido.