Os efeitos colaterais do óleo de colza

Escrito por david stewart | Traduzido por karina silva
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Os efeitos colaterais do óleo de colza
O óleo de colza é mais conhecido como óleo de canola (BananaStock/BananaStock/Getty Images)

O óleo de colza é um óleo obtido a partir da semente de colza Brassica napus Linnaeus, pertencente à família Brassicacea. Esta planta é cultivada principalmente na Europa e na Ásia, e as sementes são utilizadas para a produção de óleo e uma ração animal rica em proteínas. O óleo de colza tradicional é rico em ácido erúcico, que foi descoberto como causador de toxicidade em seres humanos, quando consumido em grandes doses. Essa toxicidade não é imediatamente aparente, e leva cerca de 10 anos para se manifestar.

Efeito do óleo de colza no coração

A variedade original da semente de colza tem um elevado teor de ácido erúcico, que pode variar entre 20 a 55 por cento. Ele é um ácido graxo monoinsaturado de cadeia longa. Experimentos em animais mostraram que esse composto pode causar lesões no coração, levando a danos cardíacos significativos. Esse óleo é, portanto, considerado inseguro para o consumo de humanos.

Efeitos do óleo de colza no metabolismo

O metabolismo dos alimentos ocorre através de várias mudanças bioquímicas no corpo. Esse processo envolve a ação de várias enzimas que atuam de forma coordenada para digerir e promover a absorção dos alimentos. O óleo de colza mostra uma tendência a reduzir a eficiência desse processo.

Óleo de colza e câncer

A colza bruta tem elevados níveis de óleos ômega-3, que têm um efeito benéfico sobre o coração. Durante o processamento do óleo de colza, no entanto, esses óleos se oxidam e exalam um odor rançoso, que é removido por um processo de desodorização. Esse processo causa a formação de gordura trans, que são compostos conhecidos por serem cancerígenos, ou seja, têm o potencial de causar câncer.

Óleo de colza modificado

As variedades modificadas da planta de colza foram desenvolvidas para se obter um óleo com um baixo teor de ácido erúcico. Esse óleo é conhecido pelo nome de baixo ácido erúcico de colza (LEAR). Os óleos LEAR contêm baixas concentrações de ácido erúcico, e portanto, são considerados seguros para o consumo. Um desses óleos é o de canola, produzido a partir de uma variedade geneticamente modificada de colza. O óleo de canola contém apenas cerca de 2 por cento de ácido erúcico e é destinado ao consumo humano. Ele é usado para cozinhar, e em quantidades normais, não causa efeitos colaterais. No entanto, o consumo de grandes quantidades de óleo de canola sem alimentos pode levar a dor de estômago e diarreia.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível