Os efeitos do crack no cérebro em desenvolvimento

Escrito por lawrence gould | Traduzido por gabriela bazzo
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

O crack ou as pedras de cocaína são a forma mais forte da droga, criada por meio do cozimento do pó para extrair uma forma mais pura. A alucinação proporcionada por ela é uma das mais intensas que os usuários podem experimentar. Quando fumada, seus efeitos são sentidos quase imediatamente, pois a droga chega diretamente ao cérebro. Essa droga tem um grande potencial de vício de forma que, muitas mulheres, mesmo grávidas, continuam usando a substância.

Outras pessoas estão lendo

Bebê do crack

O termo "bebês do crack" é usado para descrever crianças nascidas de mães que fizeram o uso da droga durante a gravidez. Esses bebês são tipicamente descritos com comportamentos como choro excessivo e inabilidade para dormir ou para acalmar-se. Essas crianças requerem cuidados constantes.

A controvérsia

O termo "bebês do crack", ainda que continue sendo utilizado, foi derrubado após um exame minuncioso. O jornal americano Chicago Sun Times disse que o "fenômeno é relatado de uma forma exagerada e que o uso de cigarros, álcool e outras drogas durante a gravidez pode causar tantos problemas nas crianças quanto o consumo de cocaína."

Impacto no feto

Mães que usam crack enquanto grávidas estão expondo seus bebês a um perigo terrível. Obviamente, tudo o que chega ao corpo da mãe também alcança o bebê. Segundo a clínica de reabilitação Clean Haven Center, os efeitos do crack na criança resultam em "ataques epiléticos ou derrames, paralisia cerebral (falta de oxigênio no cérebro), problemas de visão ou audição, anormalidades no trato urinário, taxas de nascimento baixas, nascimentos prematuros e abortos." O crack causa danos maiores, no entanto, no cérebro.

Impacto craniano

Talvez o pior dano causado pelo crack no feto seja no cérebro. Ainda que os efeitos não sejam tão severos quanto os pensados antigamente, o cérebro do bebê, assim como o da mãe, experimenta o surgimento de dopamina causado pela droga. Como o cérebro do bebê está em um estágio de desenvolvimento, isso pode resultar em vício psicológico, déficit de atenção, falta de habilidades cognitivas e problemas de desenvolvimento.

Vício físico em recéns nascidos

O termo "bebês do crack" se tornou famoso, mas não é tão acurado quanto se pensava inicialmente. De acordo com a biblioteca de polícia antidrogas dos EUA, o termo "bebê do crack" é mais do que um mito. Ainda que alguns bebês nasçam viciados na droga, o perigo não é maior do que o álcool ou até mesmo os cigarros. O debate deve continuar enquanto houver tantos casos de bebês viciados em crack que cresceram e enfrentaram problemas motores e alterações nas funções cerebrais.

Conclusão

Ainda que haja muitos casos de crianças nascidas de mães usuárias de crack e que posteriormente desenvolveram condições problemáticas, os números não são maiores do que os de problemas registrados em crianças com síndrome alcoólica ou até mesmo daqueles gerados por mães que fumaram cigarros. Não levando em conta qual substância é mais prejudicial ao feto, o mais importante é que uma mulher grávida evite usar quaisquer substâncias que possam ser tóxicas ao recém-nascido.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível