Os efeitos da pílula do dia seguinte no ciclo menstrual

Escrito por margaret bryant | Traduzido por samuel silva
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

A pílula do dia seguinte é uma forma de contracepção de emergência, disponível sem prescrição médica. Você pode tomá-la depois de ter relações sexuais desprotegidas para evitar a gravidez.

Outras pessoas estão lendo

Comprimidos químicos

A pílula contém uma dose alta de progesterona, que é um hormônio sintético concebido para imitar a ocorrência natural de progesterona e de estrogênio, o que impedem a ovulação. Algumas marcas contêm um único produto químico chamado levonorgestrel, que se comporta de forma semelhante.

A pílula e a ovulação

A introdução de progestina ou levonorgestrel em seu corpo em uma dosagem alta o suficiente impedirá que a ovulação ocorra. A ovulação é a liberação de um óvulo e, se nenhum óvulo é liberado quando o esperma está presente em seu corpo, a fertilização não ocorrerá.

A pílula e o espermatozoide

A pílula do dia seguinte engrossa o muco cervical no útero, tornando-o menos fértil. Quanto mais espesso o muco, mais difícil é para os espermatozoides se transportarem através dele até chegar ao óvulo.

Efeitos sobre o ciclo menstrual atual

O ciclo menstrual no qual a pílula do dia seguinte é tomada pode ser mais curto ou mais longo, devido à explosão de hormônios. A forma como o seu ciclo será afetado dependerá de como seu corpo metaboliza os hormônios sexuais.

Ciclos menstruais futuros

O ciclo menstrual seguinte àquele em que a contracepção de emergência foi tomada deve ser normal, pois os níveis de hormônio terão retornado aos valores habituais.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível