Encefalite em cães pequenos

Escrito por micah schneider | Traduzido por aline fernandes
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Encefalite em cães pequenos
Leve o seu cão ao veterinário se ele exibir sintomas de encefalite (Dean Golja/Digital Vision/Getty Images)

A encefalite é uma inflamação do sistema nervoso central, especificamente o cérebro. Na verdade, a encefalite é uma das causas mais comuns de doenças neurológicas na medicina veterinária em sua clínica, afirma a Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Estadual da Carolina do Norte. A doença existe em duas formas: infecciosa e idiopática. Várias raças de cães pequenos são mais suscetíveis à encefalite idiopática, e os Pugs e Yorkshire Terriers são predispostos a formas específicas da doença.

Outras pessoas estão lendo

Sintomas e diagnóstico

Os sintomas de todos os tipos de encefalite incluem febre, depressão, agressão, desequilíbrio, inclinação da cabeça, andar descoordenado, cegueira, convulsões, paralisia e coma. Os sintomas variam quanto ao tipo e a intensidade, dependendo da área do cérebro que a inflamação afeta. Os animais que sofrem de encefalite geralmente exibem sintomas rapidamente, dentro de dias ou semanas do aparecimento da doença. O diagnóstico é feito mais comumente através de uma punção lombar. Exames de sangue e outros testes comuns de diagnóstico frequentemente não conseguem demonstrar a encefalite conclusivamente. As punções lombares são consideradas procedimentos de rotina, mas possuem um leve grau de risco.

Encefalite infecciosa

Diferentes agentes infecciosos por todo o país causam a encefalite infecciosa. A encefalite bacteriana é rara, pois a bactéria que causa a doença em humanos parece não funcionar nos cães. As infecções fúngicas também são raras. Doenças transmitidas por carrapatos, como a doença de Lyme, raramente causam a encefalite. Infecções virais, como a cinomose canina ou a raiva, são as causas mais comuns da doença, com a cinomose sendo o agente mais provável.

Encefalite idiopática

A encefalite idiopática descreve todos os casos onde um agente infeccioso não pode ser determinado ou não existe. Como não existe nenhum teste de diagnóstico para confirmar essas doenças, somente uma autópsia pode determinar um diagnóstico positivo. A meningoencefalite granulomatosa é mais comum em cães pequenos. As fêmeas estão mais propensas a ser afetadas do que os machos, e a maioria dos animais possui menos de seis anos no início da doença. A causa é desconhecida, mas pode estar relacionada ao sistema imunológico atacando células saudáveis. Os sintomas são os mesmos que os da encefalite infecciosa. Uma forma rara da doença afeta o nervo óptico, resultando na cegueira. A leucoencefalite necrosante também é conhecida como encefalite necrosante do Yorkshire Terrier, por ser mais comum nessa raça. Outras raças comumente afetadas incluem o Chihuahua e o Shih-tzu. A inflamação ocorre no encéfalo frontal e no tronco cerebral, e pode estar relacionada a um problema imunológico. Os cachorros de até dez anos podem apresentar sintomas. A meningoencefalite necrosante existe predominantemente no Boston Terrier, no Chihuahua, no Maltês, no Papillon, no Pug e no Shih-tzu. No Pug, a doença é conhecida como Encefalite do Cão Pug. Ela costuma afetar os cães de até 7 anos de idade. Nessa versão da encefalite, a inflamação acontece no encéfalo frontal, e é comum ocorrer convulsões.

Tratamento e prognóstico

Se suspeitar que o seu cão possa estar sofrendo de sintomas da encefalite, leve-o ao veterinário o mais rápido possível. Todas as formas de encefalite idiopática costumam ser fatais, com a sobrevivência durando somente algumas semanas. Os cães diagnosticados com a forma ocular da meningoencefalite granulomatosa podem viver até seis meses. O tratamento pode trazer uma melhora de curto prazo, mas a maioria dos animais não resiste com o tempo. Esse tratamento consiste em corticosteroides para diminuir o inchaço do cérebro e medicamentos imunossupressores. O prognóstico para a encefalite infecciosa é melhor. Com o tratamento adequado, a maioria dos cães se recupera. Os veterinários habitualmente passam antibióticos em quase todos os casos de encefalite infecciosa, assim como corticoesteroides. Os animais sofrendo com convulsões recebem anticonvulsivantes. As infecções virais são suscetíveis a tetraciclina ou doxiciclina. Os veterinários somente receitam antifúngicos se o exame de sangue indicar uma causa fúngica. Os cães que se recuperam da encefalite podem desenvolver distúrbios convulsivos de longo prazo ou outros problemas neurológicos.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível