Escudos espartanos antigos

Escrito por frank b. chavez iii | Traduzido por aline ferreira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Escudos espartanos antigos
Um escudo era vital para um guerreiro espartano (Photos.com/Photos.com/Getty Images)

De acordo com a crença popular, quando os antigos guerreiros espartanos marchavam para a guerra, suas mães lhes disseram: "Volte para casa com seu escudo ou sobre ele". Este ditado, gravado em "Moralia" pelo historiador romano do século I, Plutarco, ilustra a importância que os guerreiros espartanos davam para sua tarefa e seus escudos.

Outras pessoas estão lendo

Os espartanos

Na antiguidade, os espartanos dominavam a parte sul da Grécia conhecida como Peloponeso. No ano de 640 a.C, após uma quase derrota em um conflito com seus vizinhos, os messenianos, os espartanos tornaram-se uma sociedade com bases militares na qual todo homem era guerreiro. Enquanto os homens de outras cidades gregas, como Atenas, ganhavam a vida como fazendeiros, artesãos ou mercadores, os espartanos treinavam e praticavam guerras desde que entravam na escola, com sete anos, até a data de aposentadoria, aos 60. Os guerreiros espartanos carregavam vários equipamentos, mas os escudos eram, talvez, o mais importante deles.

O escudo

O antigo escudo grego variou de tamanho e construção ao longo dos séculos. Durante o período de dominação espartana, o escudo era feito de madeira coberta com uma fina camada de bronze, tinha formato circular, era curvado na direção do corpo e pesava entre 7,5 e 10 quilos. De acordo com o historiador Nicholas Sekunda, os guerreiros gregos, ou hoplitas, preferiam a mobilidade à proteção completa que escudos mais pesados ofereciam. Seus escudos podiam desviar ataques com espadas e lanças, mas podiam ser perfurados por flechas e dardos. Segundo Plutarco, o general espartano Brasidas culpou um escudo "traidor" por sua ferida.

A falange

Na formação chamada falange, os hoplitas se alinhavam ombro a ombro. Eles carregavam suas lanças em suas mãos direitas, os escudos nas mãos esquerdas. O escudo protegia o guerreiro que o segurava e o homem à sua esquerda. Pais espartanos diziam aos filhos que o escudo era mais importante do que seus elmos, pois este era dado para sua proteção, enquanto aquele protegia o bem comum.

Relíquia de família

Um covarde pode atirar seu escudo e correr ao começo da batalha. Um homem descuidado ou fraco pode deixá-lo para trás ou perdê-lo antes de retornar ao seu lar. Um guerreiro obediente, no entanto, guardava suas terras e retorna à casa com seu escudo. Se morresse, seus companheiros o carregavam para casa usando seu escudo como maca. De qualquer forma, retornar para casa com ou sobre seu escudo mostrava que o homem era bravo e fornecia a sua família uma relíquia de valor. A maioria dos estados gregos antigos, incluindo Esparta, requeriam guerreiros para fornecer-lhes seus próprios equipamentos. Eles eram tão caros que eram passados de geração à geração enquanto fossem utilizáveis.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível