×
Loading ...

Como estabelecer limites para uma criança voluntariosa

Atualizado em 23 março, 2017

Crianças voluntariosas são agressivas e querem fazer as coisas à sua maneira. Elas agem como se mundo girasse em torno delas e normalmente não têm nenhuma consideração por como suas ações afetam a si mesmas ou às pessoas ao seu redor. Embora possa ser muito frustrante para os pais ou professor, sempre existem maneiras de interromper esse tipo de comportamento. Uma forma eficaz de combatê-lo é estabelecer regras para ajudá-las a se tornar indivíduos mais disciplinados.

Instruções

Ajude seu filho a se tornar mais disciplinado na vida estabelecendo diretrizes (child image by saied shahinkiya from Fotolia.com)
  1. Crie consequências que ajudarão a criança a reconhecer a importância do comportamento dela, conforme o site Education. Por exemplo, se ela não tomar banho antes de ir dormir, não pode sair no dia seguinte. Ao brincar na rua, ela pode se sujar. Logo, você não permitirá mais sujeira no corpo dela, já que ela não se preocupa com tomar banho diariamente.

    Loading...
  2. Estabeleça diretrizes e mantenha-se consistente com elas. A criança pode se rebelar a princípio, mas acabará entendendo a mensagem. Segundo o site Education para professores, pais e filhos, você deve se manter desapegado emocionalmente quando der as instruções, mas mostrar amor incondicional à criança. Isso a ajudará a longo prazo e pode, também, auxiliar a criança a gostar das diretrizes no futuro.

  3. Aprenda a lidar com atitudes ruins durante a disciplina. Quando a criança se comportar mal, deve ser conduzida até o quarto, mas procure não perder a paciência.

  4. Dê apenas uma frase como explicação, segundo a Dra. Sylvia Rimm. Se a criança bater a porta ou tiver uma ataque de fúria, não reaja e incentive outros membros da família a também não reagir. Estabeleça um tempo de aproximadamente 10 minutos ou o quanto queira que a criança fique no quarto até sossegar.

  5. Abra a porta para deixar a criança sair após 10 minutos ou mais. A Dra. Sylvia Rimm explica que é importante que o pai ou a mãe continuem calmos com a situação, sem dar explicações adicionais, pedir desculpas, alertar ou discutir o amor. Aja como se nada incomum tivesse acontecido entre você e a criança. Repita o quanto for necessário.

Loading...

Referências

Recursos

Loading ...
Loading ...