Estatísticas sobre gravidez na adolescência nos Estados Unidos

Escrito por brandi laren | Traduzido por débora sousa
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

A gravidez na adolescência tem sido uma epidemia nos Estados Unidos há décadas, e o índice de adolescentes engravidando ainda é um problema em todo o país. Vários esforços têm sido utilizados para mudar essa tendência, incluindo programas de prevenção nas escolas e uma série de programas de extensão voltados para informar os adolescentes sobre o anticoncepcional e práticas de sexo seguro em geral. As estatísticas sobre a gravidez na adolescência tem sido a principal causa para o crescente número de programas de extensão.

Outras pessoas estão lendo

Extensão

A gravidez na adolescência é resultado de adolescentes que têm relações sexuais de forma desprotegida. Segundo o Guttmacher Institute, cerca de metade dos adolescentes americanos entre as idades de 15-19 anos tiveram relações sexuais pelo menos uma vez. Verificou-se que os adolescentes que são sexualmente ativos, mas não usam anticoncepcionais, têm uma chance de 90% de engravidar em um ano.

O instituto descobriu que 750 mil mulheres entre as idades de 15-19 anos engravidam a cada ano, sendo que 82% dessas gestações não são planejadas.

** O Guttmacher Institute é um instituto americano, que trabalha para o avanço da saúde sexual e reprodutiva em todo o mundo, com a educação pública, pesquisa e análise política.

Tipos

As taxas de gravidez na adolescência tendem a variar de acordo com a área demográfica e a etnia. Por exemplo, de acordo com o Guttmacher Institute, as mulheres negras entre as idades de 15-19 anos têm a maior taxa de gravidez adolescente nos Estados Unidos, seguido por espanhóis e caucasianos. Além disso, enquanto a maioria dos dados estatísticos acerca dos adolescentes começa com indivíduos de 15 anos, aquelas que têm 13 e 14 também têm engravidado em todo o país.

Geografia

A taxa de gravidez na adolescência também varia de estado para estado nos Estados Unidos. De acordo com a National Campaign to Prevent Teen and Unplanned Pregnancy, a capital Washington D.C. ficou classificada como a maior taxa de gravidez na adolescência do país em 2000, seguido de Dakota do Norte, Vermont e Nova Hampshire.

Efeitos

Só em 2005, 414.593 adolescentes deram à luz nos Estados Unidos. No entanto, nem todas aquelas que ficam grávidas dão à luz. Na verdade, 29% das adolescentes grávidas têm abortos e 14% têm gestações que resultam em aborto espontâneo. Apenas no ano de 2002, jovens de 15-19 anos de idade que estavam grávidas tiveram 214.750 abortos. Segundo o Guttmacher Institute, a maioria das adolescentes que abortam estão preocupadas com a capacidade de cuidar do bebê financeira, emocional e fisicamente.

Prevenção e Solução

Estudos apontam que os programas de prevenção de extensão sobre o assunto têm tido um certo impacto. Desde que a taxa de gravidez na adolescência atingiu um pico em 1990, notou-se um decréscimo de 36%. A principal causa do declínio é que mais adolescentes utilizam métodos anticoncepcionais do que em 1990. De fato, entre 1992 e 2000, todos os estados do país americano tiveram uma diminuição nas taxas de gravidez na adolescência de 5% a 54%, como resultado desses tipos de programas.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível