Estilos de aprendizagem convergente e divergente

Escrito por lauren treadwell Google | Traduzido por monique oliveira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Estilos de aprendizagem convergente e divergente
Descubra seu estilo de aprendizagem para melhorar seu desempenho (learning language image by bright from Fotolia.com)

Estilos de aprendizagem convergente e divergente referem-se a dois dos quatros estilos experimentais de ensino criado pelo Professor David Kolb. Sua teoria defende que um aprendizagem eficaz deve incluir a posse de quatro deferentes elementos para assimilar e processar informações. Basicamente, todos nós devemos possuir certos níveis de habilidade de abstração, observação, experimentação e habilidade vivenciada, mas nossas características dominante determinam nosso estilo de aprendizagem. Os que aprendem de maneira convergente e os que aprendem de maneira divergente possuem características distintas para processar informação.

Outras pessoas estão lendo

Camparações

Os que aprendem de maneira convergente tendem a depender fortemente de conceitos abstratos e de experimentação ativa para processar informação. Estes são frequentemente considerados tendenciosos para “ciências e tecnologia’. Pode-se facilmente identificá-los observando suas habilidades em encontrar aplicações práticas para conceitos, ideias e teorias. Se você é um aprendiz convergente, você provavelmente tende a se sentir mais confortável em situações em que haja uma única resposta lógica para um problema. Outra indicação usada para identificar um aprendiz convergente é observar suas áreas de interesses. Estes tendem a ter interesses,tanto profissionais quanto pessoais, específicos ou limitados e, são melhores resolvendo problemas técnicos, ao invés de problemas sociais que envolvem muitos possíveis resultados complexos. Enquanto aprendizes convergentes são valorizados por suas habilidades em aplicar informações para solução prática de problemas , é visível que lhes falta aptidão em outras áreas. Pode ser difícil para eles escutar novas ideias com uma mente aberta, ou assumir um papel ativo na aprendizagem. Os que aprendem de maneira divergenteestão mais presentes nas áreas de “artes e humanidades” e normalmente dependem de conceituação abstrata e observação reflexiva para processar informações. Pode-se facilmente identificá-los observando sua apreciação por pequenos grupos de discussão ou sessões de debate. Se seu estilo de aprendizagem é o divergente, provavelmente você acumula informações e pode ter uma larga variedade de interesses. Ao contrário do aprendiz convergente, os divergentes são mais capazes de sentir empatia pelos sentimentos dos outros, mas eles não possuem a habilidade de tirar conclusões de aspectos técnicos e quantitativos das situações. Aprendizes divergentes tendem a ser muito criativos e ter a mente aberta, mas pode ser necessário pressioná-los para tomar decisões definitivas. Também pode ser necessário encorajá-los a tentar e definir mais objetivos a longo prazo e assumir riscos. De acordo com Kolb, aprendizes divergentes e convergentes são muito diferentes em seu estilo de aprendizagem, mas podem beneficiar um do outro em trabalhos em grupo.

Crítica

A teoria do Professor Kolb sobre estilos de aprendizagem recebeu um número considerável de críticas. James A. Anderson (1988) afirma em seu artigo para o Journal of Teacher Education (Diário de educação docente), que o modelo de Kolb leva em pouca consideração outra culturas e não leva em conta diferenças na comunicação e nos estilos cognitivos que tendem ter bases culturais. Como Mark Tennant (1997) também observou na edição do "Psychology and Adult Learning" (Psicologia e Aprendizagem adulta), o modelo de Kolb carece de evidencias empíricas e que toda a base da investigação é pequena e limitada.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível