Estilos de intervenção no mercado de câmbio

Escrito por scott johnson | Traduzido por diego feijo cabral silva
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Estilos de intervenção no mercado de câmbio
O presidente do Banco Central dos Estados Unidos, Ben Bernanke, possui várias ferramentas para manipular os valores dos mercados de câmbio (Jonathan Ernst/Getty Images News/Getty Images)

Os bancos centrais adotam intervenções monetárias por diversas razões, entre elas a estabilização das taxas de câmbio e a redução dos déficits comerciais. Normalmente, os mercados cambiais são negociados livremente, e as taxas de câmbio são determinadas pela oferta e a procura. Se um banco central considerar economicamente vantajoso manipular a taxa de câmbio, ele poderá fazê-lo através de modificações diretas e indiretas na base monetária. Às vezes, vários bancos centrais fazem intervenções conjuntas para proteger uma moeda.

Outras pessoas estão lendo

Razões para a intervenção

Às vezes, um choque econômico pode criar altos níveis de volatilidade no mercado de câmbio, o que pode gerar um efeito desestabilizador na economia. Recentemente, os países do G-7 concordaram em intervir conjuntamente para impedir um repique no valor do iene japonês após o terremoto e o tsunami de 2011. Além disso, moedas fortes tendem a estimular as importações e colocar barreiras para os setores produtivos e exportadores. Um banco central pode considerar benéfica a redução do valor de uma moeda interna forte. A China vem sendo constantemente acusada de depreciar artificialmente o valor do yuan para estimular as exportações.

Intervenções diretas e indiretas

Um banco central pode reduzir diretamente o valor da moeda através do aumento das moedas em circulação no mercado aberto. O aumento da base monetária leva diretamente à desvalorização através da simples dinâmica da oferta e procura. Métodos indiretos também são utilizados para afetar a base monetária, incluindo a manipulação das reservas monetárias e o ajuste das reservas bancárias exigidas. Por exemplo, ao reduzir as exigências de reservas bancárias, o banco central permite o ingresso da liquidez bancária no sistema ecônomico e, consequentemente, aumenta a oferta monetária, pressionando a moeda. A redução da taxa de juros aumentaria a atividade de empréstimos devido aos valores mais baixos, aumentando assim a liquidez.

Intervenções esterilizadas e não esterilizadas

Uma intervenção que altere a base monetária de um país é conhecida como intervenção não esterilizada. Às vezes, o banco central faz uma intervenção esterilizada, que significa compensar a sua intervenção monetária com a compra ou a venda de títulos. A intervenção esterilizada é geralmente menos eficaz do que a não esterilizada, mas ainda pode impactar o valor da divisa através do aumento ou da redução da oferta de títulos da dívida pública.

Efetividade das intervenções

A efetividade das intervenções no mercado de câmbio varia bastante. Intervenções conjuntas dos bancos centrais tendem a ser mais bem-sucedidas. É também mais fácil para um banco central desvalorizar sua moeda do que impedir uma queda rápida no seu valor, o que pode acontecer durante uma crise monetária causada pelos problemas da dívida pública. Evitar intervenções previsíveis também aumenta o sucesso. Muitas vezes, os bancos centrais em todo o mundo compram e vendem moedas através de procuradores de bancos privados para disfarçar a atividade.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível