Mais
×

O que os estrangeiros andam recomendando para os turistas que vêm ver a Copa

Torcer, mas com certos cuidados
mipan/iStock/Getty Images

Introdução

A Copa do Mundo Fifa de 2014 chegou ao Brasil em meio a insatisfações e protestos por parte da população. A infraestrutura esperada, que ficaria como legado ao país, não foi realizada exatamente como previsto. De olho nesses contratempos que poderiam ser enfrentados pelos turistas, a imprensa internacional chamou a atenção para atrasos nas obras e possíveis problemas a serem enfrentados por torcedores. Embaixadas, federações esportivas e governos de alguns países, como Alemanha, Estados Unidos e França, emitiram advertências e cuidados a serem tomados por seus compatriotas durante a Copa no Brasil. Transporte, alimentação, violência e saúde foram alguns dos pontos abordados. Veja os principais comentários dos estrangeiros.

Camisinha sempre no bolso
Kai_Wong/iStock/Getty Images

Sexo com proteção

O governo norte-americano divulgou algumas orientações, em um guia on-line, para quem pretende vir à Copa. Uma das advertências é quanto ao estímulo do sexo sem proteção durante as comemorações. O site aconselha que, para maior segurança, os turistas norte-americanos tenham sempre à mão camisinhas trazidas de seu país natal e não usem marcas brasileiras. A imprensa também noticiou a decisão do governo brasileiro de barrar a entrada de estrangeiros envolvidos com pedofilia e pornografia infantil.

Atenção com os alimentos!
Sarsmis/iStock/Getty Images

Alimentação

Outra preocupação é com a questão da higiene dos alimentos que os turistas consomem no Brasil. O guia norte-americano aconselha a ter certos cuidados para evitar doenças como diarreia, hepatite A e febre tifoide. Um deles é comer apenas frutas descascadas ou lavadas em água limpa, pelo próprio turista. Comer carnes, peixes, ovos e vegetais só muito bem cozidos e quentes. Na lista de conselhos, ainda constam o de evitar verduras, alimentos de vendedores de rua e bebidas com gelo ou de máquina.

Alerta com furtos, assaltos e sequestros-relâmpagos
KatarzynaBialasiewicz/iStock/Getty Images

Segurança

A violência no país é uma das maiores preocupações. Os EUA aconselham a ter cuidado com sequestros relâmpagos que podem ocorrer a qualquer hora. Também orientam a procurar andar apenas com a cópia do passaporte e carimbo de entrada, deixando o original em lugar seguro. Para os franceses, o alerta é para ter uma segunda carteira a ser entregue ao assaltante. Já o governo alemão recomenda atenção com bagagens e pertences e a levar sempre uma pequena quantia para dar em caso de assalto, além de nunca reagir. Evitar deixar máquinas fotográficas visíveis e não sair com joias também são conselhos lembrados.

Vacinas em dia e seguro saúde
pyotr021/iStock/Getty Images

Vacinas e saúde

Em alguns países, a preocupação também se estendeu à saúde. Ter um seguro de saúde viagem é importante para possíveis necessidades. Outro cuidado deve ser o de vacinar-se contra algumas doenças, como rubéola, sarampo, caxumba, febre amarela e hepatite A e B. Segundo o guia on-line norte-americano, o turista deve evitar ainda nadar em lagos e rios, para não contrair esquistossomose. Trazer um kit de saúde na mala e fazer uma consulta ao médico antes da viagem também são recomendados.

Entregas em cima da hora
Celso Pupo rodrigues/Hemera/Getty Images

Obras atrasadas

Além de todas as mazelas nacionais expostas, a imprensa internacional comentou bastante sobre os atrasos nas obras essenciais para a Copa, como os estádios não finalizados até a data dos primeiros jogos, como o Arena das Dunas, em Natal, e o Arena da Baixada, em Curitiba. Também causaram impressão negativa os telões que ficaram faltando e os banheiros públicos inacabados, além dos gastos excessivos de maneira geral, em comparação aos outros países que sediaram Copas. Muitos questionamentos foram levantados sobre esses excessos e o cumprimento de prazos.

Vandalismo e gás lacrimogêneo
Vadven/iStock/Getty Images

Manifestações locais

As manifestações ocorridas nos meses que antecederam à Copa e greves de algumas categorias profissionais levaram ao exterior imagens assustadoras. Confronto entre polícia e população, com bombas, gás lacrimogêneo, balas de borracha, queima de ônibus e destruição de agências bancárias, tudo foi noticiado pela imprensa internacional. Na página do Escritório de Assuntos Consulares do Departamento de Estado dos EUA, o conselho é para, em caso de manifestações, os turistas permanecerem dentro de um local com portas e janelas fechadas.

Cuidado na hora de visitar pontos turísticos
MBPROJEKT_Maciej_Bledowski/iStock/Getty Images

Pontos turísticos

Quando o assunto é abordado, não é para exaltar nossas belezas naturais. O que os estrangeiros comentam são alertas sobre assaltos e perigos para quem visita essas atrações. Em relação às favelas, que despertam a atenção de muitos estrangeiros, os guias on-line advertem para que evitem as não pacificadas e mesmo assim mostram que essas não são completamente seguras. O governo mexicano, por exemplo, sugere selecionar bem as atrações turísticas a visitar e ir a boates sempre em grupos.

Aumento dos casos de dengue no país
Damrongpan Thongwat/iStock/Getty Images

Dengue

Mais uma preocupação durante a permanência no Brasil: a dengue. Em São Paulo, uma das cidades-sede dos jogos na Copa, os casos triplicaram em relação a 2013, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. O alerta divulgado em sites no exterior é que os turistas usem repelentes, chapéus, calças compridas e cubram os braços para evitar picadas de mosquitos causadores de malária, dengue e febre amarela. No guia norte-americano, o conselho é para procurar dormir em quartos com tela ou ar condicionado e recomendam inclusive o uso de mosquiteiro, se o turista estiver dormindo ao ar livre.

Falta de opções de transportes
Victor Moriyama/Getty Images News/Getty Images

Transportes

A revista France Football publicou a poucos dias do início da Copa uma extensa matéria sobre o Brasil. Nela, a questão dos transportes no País foi citada. Houve comentários sobre o TGV, trem francês de alta velocidade, que ligaria São Paulo e Rio de Janeiro, e que não foi além de projetos. Outro dos problemas citados foram as condições dos aeroportos nacionais e suas reformas atrasadas. O preço abusivo das passagens de avião também foi tratado e em alguns sites foi mencionado ainda a deficiência da rede ferroviária no País.

Torcida a postos!
Mario Tama/Getty Images News/Getty Images

O brasileiro

Em meio a tantas críticas e advertências, só mesmo o brasileiro para deixar uma melhor imagem do País. Seu jeito hospitaleiro, a alegria contagiante e a disposição para ajudar foram destaques positivos na imprensa internacional. Essas características podem fazer os estrangeiros levarem uma boa recordação da Copa do Mundo Fifa no Brasil, além das belezas naturais incomparáveis do solo nacional. Quem sabe no final, entre tantos pontos negativos por parte da organização, o País não consiga deixar uma imagem positiva?