Estratégia de diferenciação da Apple

Escrito por ellis davidson | Traduzido por juarez jr.
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Estratégia de diferenciação da Apple
Apple Store (Kevork Djansezian/Getty Images News/Getty Images)

A estratégia corporativa da Apple para computadores e eletrônicos portáteis tem sido consistente desde a introdução do Macintosh em 1984: hardware e software integrado a partir de um único fornecedor, atenção nos detalhes e um ponto fixo de preços que lhes permite comandar um segmento de mercado altamente rentável. Esta estratégia é agora aplicada a seus desktops, laptops, tocadores de música e celulares.

Outras pessoas estão lendo

Integração de hardware e software

O que difere a Apple da concorrente Microsoft é que uma única empresa é responsável tanto pelo sistema operacional quanto pelo hardware em que ele é executado. Computadores com Windows são feitos por dúzias de fabricantes diferentes, e a Microsoft não pode controlar a linha básica mínima de hardware, ou a variedade de componentes que podem ser incluídos em um computador destinado ao uso do Windows. A Apple, por outro lado, tem o controle completo sobre a variedade e a gama de hardwares Macintosh, o que minimiza problemas de suporte técnico e garante que cada proprietário de Macintosh tenha uma plataforma de hardware comum criando suas experiências de usuário.

A Apple já experimentou permitir que outras empresas vendessem clones do Macintosh, fazendo com que o mercado de seu sistema operacional parecesse com o do Windows: embora os usuários do SO Macintosh tivessem acesso a uma ampla variedade de hardware, fabricantes de clones do Macintosh competiram fortemente vendendo computadores mais baratos e menos bem desenhados. A Apple cancelou o licenciamento de clones do Macintosh para evitar que a experiência pobre do usuário de clones fosse permanentemente associada à marca Macintosh.

Qualidade de design

A Apple sempre teve uma forte associação pública com design de alta qualidade em quase toda sua história. Seus primeiros computadores pessoais, os computadores Apple ][ (pronuncia-se "Apple 2"), que foram lançados entre 1970 e 1980, não parecem elegantes de uma perspectiva moderna, mas eles eram avançados na época por sua facilidade de uso e configuração, enquanto os computadores concorrentes tinham de ser construídos literalmente a mão a partir de um kit de partes.

Os computadores e eletrônicos da Apple são frequentemente projetados para estarem à frente da opinião pública contemporânea. A linha de computadores iMac foi o primeiro computador de casa a não ter uma unidade de disquete, o que era considerado pela maioria dos observadores como obrigatório, mas foi provado que eles estavam errados com o sucesso do modelo. Mesmo produtos fracassados da Apple mostram um planejamento de design inovador, como o Cube Macintosh, um computador de mesa pequeno fisicamente, que abriu o caminho para a linha de pequenos eletrônicos de maior sucesso do Mac.

Procura por altas margens de lucro

O impacto desta filosofia de design é que os computadores Macintosh consistentemente têm uma margem de lucro para a Apple maior do que a que a maioria das marcas concorrentes retornam às suas fabricantes. A Apple simplesmente não compete na extremidade inferior do mercado, onde a concorrência de hardware diminui as margens de lucro. Os computadores e eletrônicos da Apple mais baratos não têm preços baixos, mas incluem recursos de software e hardware suficiente para garantir uma experiência de usuário de alta qualidade. O hardware Apple é projetado para dar muito valor para o dinheiro, o que mantém os lucros elevados, mas nunca é barato no custo ou aparência.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível