Etapas da extração de DNA

Escrito por m. gideon hoyle | Traduzido por antonio silva
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Etapas da extração de DNA
É possível extrair DNA em casa (creativecommons.org)

Outras pessoas estão lendo

O básico

A extração de DNA (ácido desoxirribonucleico) é um processo com várias aplicações científicas vitais. Em pesquisa e na medicina, seus usos incluem sequenciamento de DNA, detecção de vírus e bactérias e a investigação de doenças e disturbios de origem genética. No campo da ciência forense, é utilizada para a identificação dos mortos e dos vivos, bem como para a análise da cena do crime. Apesar de seus resultados sofisticados, a extração de DNA em si é bastante simples, e técnicas de extração básicas funcionam igualmente bem em um laboratório de pesquisa ou em casa.

A extração de DNA inicia-se com a aquisição de uma amostra de DNA. Como todos os organismos vivos contêm DNA, as opções de amostra disponíveis são praticamente infinitas, e a escolha geralmente está relacionada diretamente ao indivíduo em estudo. DNA humano é de facilmente obtido, esfregando-se o interior da bochecha de uma pessoa com um cotonete. As amostras de plantas podem ser obtidas cortando-se uma secção do material de origem.

Extração no laboratório

Uma vez que a amostra é obtida, ela deve ser dividida, para obter o material genético do interior das células individuais. No laboratório, a amostra é geralmente colocada em um dispositivo chamado tubo de Eppendorf. Uma solução especial é então adicionada ao tubo, e ele é colocado em um banho de água morna. O objetivo da solução é de lisar (quebrar) a estrutura celular do material. Ela contém dois ingredientes essenciais: um detergente especialmente concebido e uma enzima, a proteinase K. Uma vez no banho de água quente, o detergente corrói a membrana celular da amostra, bem como a membrana nuclear em torno do material genético da célula. Uma vez que estas membranas são rompidas, a proteinase K rompe uma proteína chamada histona, que está enrolado em torno do DNA.

O tubo Eppendorf é então removido do banho de água, e uma solução salina concentrada é adicionada, para acumular as proteína não desejadas e os restos celulares. O tubo é então colocado numa centrífuga pequena, onde a força centrífuga deixa o DNA difundido em uma camada de solução, acima o material mais pesado em excesso. O DNA é então removido e colocado por sozinho em um outro tubo. O álcool isopropílico é adicionado ao DNA e misturado cuidadosamente. Esse processo obriga o DNA a sair da solução, e a aglomerar-se em fios visíveis. O material é então colocado na centrifugação novamente, para forçar as cadeias de DNA a se juntarem. O álcool é removido e o DNA é colocado para secar. Uma vez que este processo esteja completo, a amostra de DNA resultante pode ser armazenada e utilizada para qualquer uma das suas muitas finalidades.

Extração em casa

O mesmo processo básico de extração pode ser realizado em casa, usando frutas, legumes ou carne. O material escolhido é colocado em um liquidificador doméstico, com água fria e sal de mesa. Uma vez que estes artigos estejam misturados, a suspensão resultante é filtrada para um outro recipiente. Detergente líquido é então adicionado e esta mistura é colocada num tubo de ensaio, deixando repousar durante algum tempo. Em seguida, o amaciante de carne ou suco de abacaxi é adicionado, para fornecer as enzimas necessárias. O passo final é a adição de álcool, que obriga o DNA a aglutinar-se em filamentos, que podem ser puxados a partir do tubo de ensaio.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível