Experimentos com hormônios do crescimento ministrados em plantas

Escrito por kimberly hawthorne | Traduzido por allan magalhães
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Experimentos com hormônios do crescimento ministrados em plantas
A botânica é um ramo da ciência que lida com plantas (Comstock Images/Comstock/Getty Images)

Experimentos em plantas, envolvendo a adição de hormônios do crescimento, mostram como condições diferentes afetam a velocidade de crescimento da planta. Algumas variáveis utilizadas nos experimentos são temperatura, luz e exposição a vários elementos. Experimentos envolvendo hormônios do crescimento levaram ao desenvolvimento de fertilizantes e herbicidas para vários tipos de plantas. Conhecer o crescimento das plantas é importante para saber como estimulá-lo ou impedi-lo.

Outras pessoas estão lendo

Histórico

Em 1880, Charles Darwin descobriu as auxinas, compostos que possuem a habilidade de induzir o alongamento celular em caules. Ele realizou um experimento que sugeriu que a ponta de um coleóptilo era o responsável pela percepção da luz e produção de um sinal que viaja através do caule. O coleóptilo é o tecido da planta que faz ela se inclinar em direção à luz. A adição de auxinas ao coleóptilo estimula o crescimento de algumas plantas, também atrasando o amadurecimento das frutas, permitindo que elas cresçam mais. Adicionar auxinas nas raízes aumentará a função de transporte e absorção delas, resultando em plantas mais resistentes e maiores.

Tipos de hormônios

Além da auxina e giberelina, outros hormônios naturais e sintéticos estimulam ou reduzem o crescimento das plantas. Os cientistas são capazes de reverter os efeitos dos hormônios de crescimento das plantas para reduzir o crescimento delas. As substâncias que afetam o crescimento são usadas em muitos herbicidas para controlar plantas de folhagem larga (latifoliadas) em gramados. As citocininas são hormônios vegetais que estimulam a divisão celular da planta. Duas citocininas ocorrem naturalmente: a zeatina e a isopentenil adenina. A resposta que a planta terá a esses hormônios depende da localização e concentração. O ácido abscísico é um hormônio usado para ajudar as plantas a lidar com condições climáticas severas. O etileno é um hormônio gasoso responsável pelo amadurecimento de frutas.

Tecido vegetal

Experimentos que envolvem hormônios do crescimento requerem o uso de culturas de tecido vegetal. Os pesquisadores usam uma variedade de métodos para obter esses tecidos. As culturas permitem que os pesquisadores estudem o papel de hormônios, regulação gênica e biologia molecular das plantas. Os experimentos resultam muitas vezes em ideias inovadoras que podem ser aplicadas na botânica e agricultura. Usar técnicas de assepsia significa tomar as precauções necessárias para evitar a invasão de micro-organismos durante um experimento.

Ideias para experimentos

O hormônio de crescimento vegetal chamado giberelina alonga as células dos entrenós do caule das plantas. O uso desse hormônio foi relacionado a uma doença que infectou plantas de arroz no Japão em 1809. Quando foi testado em plantas de repolho, fez com que elas atingissem até dois metros de altura, segundo Jeanette Baker, da Universidade de Southern Illinois, em Carbondale. Ela sugere que expandir esse experimento produziria informações valiosas. O tempo de tratamento e os resultados do uso de diferentes quantidades de hormônios são ideias que podem ser usadas em experimentos.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível