Faça você mesmo: bombas de Venturi

Escrito por pauline gill | Traduzido por lucas de barros
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Faça você mesmo: bombas de Venturi
Bombas de Venture se saem bem no bombeamento de água contendo altas concentrações de sólidos (Photos.com/Photos.com/Getty Images)

As bombas de Venturi operam sem partes móveis, exceto pelo material que se move através delas. Elas trabalham com o princípio da conservação da energia, onde a energia cinética potencial em um fluido arrasta outro e então impulsiona a mistura para fora da área de bombeamento. Essa característica as torna úteis para o recalque de líquidos com uma elevada porcentagem de sólidos, tais como lodos ou esgotos, sem entupimento ou contaminação do aparato mecânico. Esse sistema de bomba de Venturi é útil para a remoção de lama e outros sólidos de porões e fossas, onde outros métodos de bombeamento falham por entupimento.

Outras pessoas estão lendo

Bombas de Venturi padrão

Muitas bombas submersas usam o princípio de Venturi, onde um fluxo pressurizado de água é direcionado para a garganta de um tubo de Venturi. Neste ponto, ele induz a um vácuo (pressão negativa) parcial que em seguida suga água para preencher o vazio. A energia cinética da corrente de velocidade mais elevada é conferida à mistura do líquido arrastado e em propulsão, sendo proporcional à massa da mistura. Essas unidades utilizam uma grande quantidade de água potável para mover o líquido arrastado. Contudo, a maioria requer pelo menos 3,8 l/min para arrastar 7,6 l/min de águas residuárias, implicando em um total de 11,4 l/min ejetados da bomba.

Uma torção leve

O segredo desse sistema é que ele utiliza um fluxo extremamente pressurizado, a partir de uma lavadora de alta pressão, para impulsionar a bomba de Venturi. Esse sistema tem um fluxo muito menor, mas uma energia cinética muito mais elevada para injetar no tubo Venturi, que serve para várias finalidades. Em primeiro lugar, a relação entre o volume de água de alimentação e de fluido ejetado da bomba é muito mais baixa, proporcionando maior eficácia e eficiência. Em segundo lugar, o fluxo de alta energia é capaz de desintegrar quaisquer sólidos existentes no Venturi e na tubação à jusante (após a bomba). Finalmente, a energia cinética de tal sistema é tão elevada que ele é mais facilmente capaz de se auto-escorvar e permanecer desobstruído (em bombas, o escorvamento corresponde ao prévio enchimento do equipamento para que ele trabalhe não afogado, ou seja, com o eixo acima do nível do poço de sucção) .

Fabricação simples

Monte um tubo de PVC começando com um diâmetro de 50 mm de classe 40 (resiste a pressões de até 40 kgf/cm²). A cerca de 5 cm de um "T", instale uma redução para 40 mm. Conecte um adaptador de rosca interna (de 1/2") no lado do "T" oposto ao da redução. Compre um ajustador de compressão que se encaixe no tubo de cobre na saída da lavadora de alta pressão. Desaperte o encaixe dessa ponta, deslize-o no ajustador e reinstale-o. Então, insira o tubo da lavadora, incluindo a ponta e o ajustador de compressão no adaptador do tubo de PVC e rosqueie bem. Passe fita de rosca nas conexões para uma boa vedação.

Teste a sua bomba de Venturi

Ligue a bomba de Venturi, que você acabou de construir, em uma mangueira de vinil de 40 mm com adaptadores para mangueira em cada extremidade. Coloque a extremidade de sucção em um balde com 20 l de água limpa e aperte o botão da lavadora. Com o ajustador de compressão ligeiramente solto ao redor do tubo, deslize o bocal para frente e para trás na redução até que a máxima vazão de saída seja alcançada. Essa será a configuração ideal, onde o ajustador de compressão deve ser apertado ao redor do tubo de saída da lavadora.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível