Fatores internos e externos que regulam o sistema cardiovascular

Escrito por chris steel | Traduzido por fabiana silva
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Fatores internos e externos que regulam o sistema cardiovascular
Estímulos externos fazem com que os mecanismos internos alterem a frequência cardíaca e a pressão arterial (Heart beat chart image by Sophia Winters from Fotolia.com)

O sistema cardiovascular é controlado por mecanismos internos do corpo. No entanto, fatores externos podem provocar alterações na frequência cardíaca ou causar a dilatação ou constrição dos vasos sanguíneos. Sob circunstâncias normais ou estressantes, os fatores internos que regulam o sistema cardiovascular interagem com outras partes do corpo para determinar as respostas apropriadas.

Outras pessoas estão lendo

Fatores internos

Internamente, o sistema cardiovascular é controlado por três vias principais. A autorregulação é o meio normal pelo qual o corpo regula a frequência cardíaca. Se o fluxo sanguíneo para um órgão ou tecido for diminuído ou obstruído, o corpo trabalha por conta própria para, em questão de minutos, corrigir este problema. Se essa ação não for bem sucedida, o corpo assume duas outras vias. Hormônios são secretados na corrente sanguínea quando alterações a longo prazo são necessárias na circulação, como ocorre quando o corpo desvia o sangue para os tecidos com maior demanda, rompendo uma embolia ou estimulando o desenvolvimento de células do sangue. A integração neural e os receptores desempenham um papel ativo nas alterações cardiovasculares de curto prazo. Os barorreceptores detectam alterações nas pressões arterial e venosa. Os quimiorreceptores detectam alterações na química do sangue — fatores como pH e saturação de oxigênio. Todos os mecanismos internos do controle cardiovascular agem em resposta a estímulos externos.

Fatores externos

O sistema cardiovascular regula o fluxo sanguíneo para os tecidos conforme as necessidades durante diferentes situações externas. Sob altos níveis de estresse, a secreção hormonal faz com que o sangue seja desviado para os músculos e para longe de outros tecidos imediatamente menos importantes. Além disso, os barorreceptores nos vasos sanguíneos causam a sua dilatação ou constrição dependendo dos tecidos que alimentam. São várias as situações de estresse. Quando uma pessoa está em perigo, realiza exercícios ou tem relações sexuais, sua frequência cardíaca é elevada. Em situações de perigo e durante a prática de atividades físicas o sangue é desviado para os músculos esquelético e cardíaco e o fluxo sanguíneo para órgãos como o estômago e os intestinos diminui. O sono é outro fator externo que altera a função cardiovascular, assim como o condicionamento físico do indivíduo. Ambos causam uma diminuição na frequência cardíaca; no entanto, a diminuição durante o sono é apenas temporária.

Doença

A doença é outro fator que afeta a regulação da função cardiovascular. O grau de interferência depende do tipo de enfermidade. Condições como a doença pulmonar obstrutiva crônica e a doença arterial coronariana causam o aumento geral da frequência cardíaca e da pressão arterial de repouso. Algumas arritmias podem causar uma diminuição perigosa da frequência cardíaca de repouso. Infecções causadas por vírus ou bactérias também podem causar alterações graves e de longa duração na função cardiovascular.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível