Como são feitos os furos de sonda?

Escrito por paul dohrman | Traduzido por wladimir d. uszacki
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como são feitos os furos de sonda?
A perfuração do solo é necessária para a extração de água ou petróleo (Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images)

Outras pessoas estão lendo

Furos de sonda

Furos de sonda são buracos feitos na terra para coletar amostras para análise ou extrair óleo, água e substratos, variando desde a extração de núcleos de gelo das geleiras até a escavação poços artesianos.

Como são feitos os furos de sonda?
Furos de sonda são a base para a perfuração do solo

Poços artesianos

Poços podem ser perfurados por escavação, percussão ou por perfuração rotativa. Para se cavar um poço artesiano, o solo deve ser macio o suficiente e o lençol freático raso o suficiente para evitar o colapso de paredes fracas. O solo pode ser transportado por balde apoiado com um tripé. Anéis de metal e tubos são colocados nas paredes para evitar desabamento durante a escavação.

Os furos por percussão são feitos batendo-se no topo do tubo com um peso, e três peças são usadas. Uma broca rotativa — ou trado — ligada à parte inferior de um tubo curto que gira quando sofre uma pancada. O tubo pode ter um filtro ao longo da perfuração para que a água flua ao atingir o nível freático. O diâmetro do cano curto no topo é menor para que caiba o cano do poço. Uma haste de diâmetro mais estreito, chamada de haste guia, se encaixa no interior dos dois tubos e é batida por cima até cair sobre a broca rotativa.

Outro método é o de jato de água através de um tubo estreito no fundo do furo, quando a broca tiver solo solto para ser transportado para cima através do canal mais largo no lado de fora do cano. Isso é chamado de jateamento.

Uma variação do jateamento é a utilização de broca de percussão para soltar terra enquanto se jateia água. Quando a pasta resultante é muito espessa para que a broca bata na terra, ela é retirada e um balde é descido para remover o líquido.

A perfuração rotativa requer uma broca giratória, muitas vezes montada em caminhões e as brocas podem ser alternadas entre rotativas e de percussão (para quebrar as rochas mais duras). A lama é retirada ou descida através do espaço anelar, conforme necessário — a lama ajuda a perfuração e refrigera a broca.

Informações detalhadas sobre vários métodos de perfuração de poços podem ser encontradas no link do site "Life Water International", listado nos recursos ou em sites de construtoras ou perfuradores de poços artesianos.

Poços de petróleo

A perfuração por petróleo ocorre em uma profundidade mais além do solo macio. Portanto, a técnica difere da perfuração de poços artesianos, pois a broca de perfuração e a tubagem não precisam estar no buraco ao mesmo tempo para evitar desabamento, o que permite uma abordagem telescópica para colocar tubos de retenção.

Brocas de percussão e rotativas são alternadas como na perfuração de poços artesianos. No caso de poços petrolíferos, o furo é iniciado com uma broca de até um metro de largura e, uma vez que o primeiro segmento do furo é completado, a broca é puxada para cima, canos de aço de diâmetro ligeiramente menor são colocados no lugar e cimento é derramado entre a terra e o lado de fora do isolamento. Em seguida, uma broca pouco menor é levada até o fundo do tubo cimentado para perfurar um orifício mais estreito. Este processo telescópico é repetido de duas a cinco vezes, resultando em um furo estreito de até 15 centímetros.

O tubo que rotaciona a broca e leva o fluido de perfuração até ela é chamado de coluna de perfuração. O fluido de perfuração é bombeado através do oco da coluna de perfuração e volta para cima através do espaço entre a coluna e a parede de rocha. O fluido tem inúmeras finalidades, como transporte de detritos, refrigeração e lubrificação da broca, opondo-se à pressão do líquido que escoa nas paredes do buraco. A máquina que bombeia o fluido de perfuração é chamada de bomba de lama.

Núcleos de gelo

Os núcleos de gelo são blocos longos e cilíndricos de gelo retirados de geleiras e camadas de gelo e usados para estudar as condições climáticas de até centenas de milhares de anos.

Tais núcleos são perfurados em segmentos de quatro a seis metros de comprimento, pois são limitadas pelo comprimento do tubo utilizado para cortá-los. O cano de corte tem dentes afiados em sua extremidade inferior e um motor o gira. Quando o cano escava de 3,5 a 6 metros, ganchos são ativados para manter o núcleo de gelo no tubo enquanto é levantado.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível