×
Loading ...

Filmes que retratam a ditadura militar do Brasil

Steven Blandin/iStock/Getty Images

Introdução

A ditadura militar do Brasil ainda é algo pouco estudado e discutido. Somente nos últimos anos, principalmente após o aniversário de 50 anos do golpe de 1964, a questão voltou a ser discutida. Segredos foram revelados e, outros, confirmados. Filmes produzidos durante o regime militar, depois e também atualmente - sejam de ficção ou baseando-se em personagens reais - mostram um pouco da realidade de quem viveu naquele período e lutou pela redemocratização do País.

Reprodução http://cadernodecinema.com.br

Manhã Cinzenta (1968)

"Manhã Cinzenta" foi produzido e dirigido por Olney São Paulo durante a vigência do AI-5 (o Ato Institucional mais duro do regime militar). Na história, um casal de estudantes segue para uma passeata onde o rapaz, um militante, lidera um comício. Eles são presos durante a manifestação, torturados na prisão e sofrem um inquérito absurdo dirigido por um robô e um cérebro eletrônico. Negativos e cópias do filme foram confiscados em 1969, mas uma ficou escondida na Cinemateca do Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio de Janeiro.

Reprodução http://www.cinedireitoshumanos.org.br/

Pra Frente, Brasil (1982)

Dirigido por Roberto Farias, "Pra Frente, Brasil" foi um dos primeiros a tratar da ditadura militar brasileira de forma aberta. Na trama, que se passa em 1970, enquanto o Brasil inteiro torce pela Seleção Brasileira de futebol na Copa do Mundo, um homem comum é confundido com um "subversivo" e submetido a sessões de tortura para confessar seus supostos crimes. Todos estes acontecimentos, durante o longa, são vistos pela ótica da família do "desaparecido".

Reprodução http://noticias.bol.uol.com.br/

Nunca Fomos Tão Felizes (1984)

"Nunca Fomos Tão Felizes", dirigido por Murilo Salles, foi rodado no último ano da ditadura militar e conta a história do reencontro de um pai com seu filho. O pai, Beto, um militante político e perseguido pelo regime, abriga o filho, Gabriel, em um apartamento. Depois de lhe dar uma quantia para sobreviver, some novamente. A partir daí, Gabriel começa a investigar quem realmente é seu pai.

Reprodução http://cameralenta.com/

O que é Isso, Companheiro? (1997)

Dirigido por Bruno Barreto, "O que é Isso, Companheiro?" é uma adaptação parcial do livro do político e escritor Fernando Gabeira. O longa narra a história real do sequestro do embaixador americano no Brasil por grupos de esquerda durante o regime militar, embora algumas passagens e personagens sejam ficcionais (os nomes de alguns personagens ligados à guerrilha foram mantidos em sigilo e trocados por nomes fictícios). É uma das primeiras produções de grande porte sobre a ditadura militar brasileira, chegando a ser indicada ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.

Reprodução http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/

Ação Entre Amigos (1998)

O filme "Ação Entre Amigos", de Beto Brant, se passa 25 anos após o fim do regime militar e mostra que, mesmo depois de tanto tempo, as marcas permanecem. Quatro amigos, ex-militantes, encontram o homem que os torturou por meses. Eles armam uma emboscada e sequestram o torturador, tentando descobrir os motivos da violência e acertar as contas.

Reprodução http://www.agenciapetrobras.com.br/

Araguaya — A Conspiração do Silêncio (2004)

"Araguaya — A Conspiração do Silêncio", dirigido por Ronaldo Duque, narra a história da Guerra do Araguaia através da visão de um religioso francês. Durante os piores anos da ditadura militar que o país sofreu, grupos de guerrilha se articulavam na região para levar as forças de resistência a uma briga armada para libertar o País dos militares. O religioso se envolve com as pessoas do local e fica dividido depois de ver tudo o que está passando, entre seu sentimento religioso, suas dúvidas existenciais e a situação política do Brasil.

Reprodução http://www.ufsj.edu.br/

Cabra-Cega (2005)

Em "Cabra-Cega", Toni Venturi conta a história de militantes que tiveram que se esconder enquanto esperavam para voltar à luta armada. Thiago é o comandante de um "grupo de ação" de uma das organizações da ultra-esquerda brasileira, que enfrentou o poder militar. Ferido à bala em uma emboscada da polícia, é obrigado a se esconder na casa de Pedro, onde seu único contato externo é Rosa, sua enfermeira. Ao longo do confinamento, Thiago se torna paranóico, acreditando ter inimigos por todos os lados.

Reprodução http://www.portalraj.com.br/

O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias (2006)

"O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias", de Cao Hamburguer, se passa em 1970. O filme mostra os efeitos da ditadura militar brasileira sobre as famílias, contando a história de um garoto mineiro de 12 anos cujos pais "saem de férias" de forma inesperada (obrigados a fugir da perseguição do regime). A trama desenvolve ainda os dois lados do Brasil da época a partir do olhar do garoto: os momentos de tristeza pela situação em que vive, e também de alegria, ao acompanhar o Brasil na Copa do Mundo.

Reprodução http://amsterdam-ftv-blog.com/

Zuzu Angel (2006)

Filme de Sergio Rezende, "Zuzu Angel" conta a história verdadeira de Zuzu Angel, estilista cujo filho, militante durante a ditadura militar, "desaparece". Após procurar por notícias, a estilista recebe ligações anônimas dizendo que ele havia sido torturado e morto por militares. A partir daí, Zuzu busca incessantemente pela verdade e se utiliza da própria profissão para mostrar ao mundo o que estava acontecendo no Brasil.

Reprodução http://sintpq.org.br/

Batismo de Sangue (2007)

O filme "Batismo de Sangue", dirigido por Helvécio Ratton, é baseado no livro de Frei Betto de mesmo nome (1983). A história se passa no final da década de 1960 quando, movidos por ideais cristãos, frades dominicanos (entre eles Frei Betto) passam a apoiar e abrigar o grupo guerrilheiro Ação Libertadora Nacional (ALN). Eles logo passam a ser vigiados pela polícia e posteriormente são presos, passando por terríveis torturas.