Mais
×

Fluxo de atividades a jusante e a montante em cadeias de suprimento

As cadeias de suprimento consistem em fornecedores, fabricantes, distribuidores e os meios de transporte que movimentam os produtos e serviços de uma fonte de componentes e matérias-primas até o cliente ou consumidor final. A articulação desse deslocamento coordenado é comparado ao fluxo de um grande rio. Assim, por essa analogia,a organização localizada mais próxima à fonte original do suprimento está "a jusante" e as mais próximas ao consumidor final, "a montante". O fluxo da fonte para o cliente, é descrito como a jusante quando o produto, já em sua fase final, e armazenado, é distribuído ao consumidor. As atividades realizadas antes de um ponto específico na cadeia de suprimentos ou seja, quando o produto ainda está em uma unidade produtiva em sua fase de processamento estão a montante. É importante entender que essas atividades trabalham em conjunto, articuladas, e que as estratégias por trás delas, por exemplo, as informações, fluem em ambas as direções, podendo ser integradas pela tecnologia, para melhorar e expandir a cadeia de suprimentos.

Uma cadeia de suprimentos envolve empresas e pessoas que trabalham juntas (Michael Blann/Digital Vision/Getty Images)

A montante e a jusante

A consideração de um fluxo de atividades como a montante ou a jusante dependerá do ponto focalizado pela análise de uma cadeia de suprimentos, bem como da posição de uma determinada unidade produtiva dentro desse fluxo. Um fabricante considera que seus fornecedores, ou seus canais de suprimento, estão a montante enquanto os canais de distribuição aos clientes estão a jusante. No âmbito do fabricante, o controle das atividades da cadeia de suprimento está sujeito à administração da empresa. Ainda assim, uma atividade de fabricação que ocorra antes de outra, em determinada unidade produtiva, é considerada a montante. O controle das atividades fora da empresa está sujeito a negociações entre empresas, cooperação e tecnologia.

Estratégias

É importante entender as estratégias dos parceiros da cadeia de suprimentos.A estratégia de um fornecedor, por exemplo, pode ser a de crescimento e realização de funções de fabricação que prejudicam os mercados de outros membros da cadeia de suprimentos. Entender os incentivos dos fornecedores, assim como os dos clientes, é útil para o planejamento desses tipos de variações. Em uma cadeia de suprimentos, para permanecer como um poderoso jogador, uma empresa não pode mais se concentrar em seu próprio negócio ou no de seus competidores; mas entender os negócios dos membros dessa cadeia como se fossem os seus próprios.

Integração

A integração dos processos de negócios em toda a cadeia de suprimento depende da cooperação de seus membros. Por exemplo, um fabricante que se decide por um único canal de suprimentos, ou fornecedor, poderá controlar e se integrar a esse fornecedor para agilizar os processos de comercialização. Pode implementar tecnologias para facilitar os processos de negócios entre as empresas. Um exemplo seria o de um fornecedor que, em vez de exigir um pedido de compra para cada remessa, manteria esse pedido em aberto e simplesmente controlaria as remessas baseado em planos de pedidos de materiais realizado por um software de planejamento de recursos de fabricação. Esse tipo de integração se torna menos provável quando os fornecedores atendem a muitos fabricantes.

Melhora

Os fabricantes em uma cadeia de suprimentos tomam decisões de fazer ou comprar que afetam essa cadeia. Isto é feito com base no custo e na programação disponíve. de melhora.Também podem passar a usar os distribuidores para capturar outros mercados ou decidir se concentrar em clientes maiores aos quais possam atender diretamente. Todos esses tipos de melhora em potencial dependem do entendimento das motivações e incentivos das empresas em uma cadeia de suprimento.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article