on-load-remove-class="default-font">
×
Loading ...

Como funciona o sistema de segurança em elevadores

Atualizado em 17 abril, 2017

O elevador representa uma grande invenção, sendo necessário em todas as construções modernas. A maioria dos prédios em todas as cidades têm vários andares e, sem os elevadores, haveria um limite da quatro ou cinco andares. Desde quando os elevadores apareceram, os engenheiros os melhoraram constantemente para que fossem mais rápidos e seguros.

A segurança dos elevadores modernos permitiram designs arquitetônicos dramáticos (Construction elevator ascending side of building. image by ryasick from Fotolia.com)

No início

A necessidade de erguer cargas e pessoas verticalmente foi um problema para o homem por muitos anos. A força para erguer pesos no passado foi retirada da água e da tração animal, e depois por sistemas complexos de cordas. No entanto, os primeiros elevadores eram tudo, menos seguros. Eram geralmente suspensos por uma corda que poderia se partir a qualquer momento.

Loading...

História

O primeiro sistema de segurança desenvolvido surgiu em 1853, quando Elisha Otis apresentou um sistema de freios que entrariam em ação caso um dos cabos se partisse. O design consistia em quatro barras no topo de cada canto do elevador e uma mola presa a um cabo. Caso o cabo arrebentasse, a tensão da mola causaria o encaixe das barras nos furos correspondentes na parede, prevenindo que a cabine caia. Seu filho, Charles, reforçou ainda mais este projeto com a introdução de recursos de segurança que eram ativados sempre que a velocidade aumentava muito, mesmo que os cabos estivessem intactos.

Design básico

O design mecânico básico dos elevadores seguros permanecem virtualmente os mesmos por mais de um século. Até oito cabos de aço suportam a caixa, e qualquer um dos cabos tem a capacidade de suportar muito mais do que o peso da caixa cheia.

Um regulador é ativado caso a velocidade do elevador aumente além da tolerância. O regulador é preso à caixa por uma corda ou cabo, e se move junto a ela. Caso a velocidade da caixa aumente, ado regulador também.

O funcionamento mecânico exato do regulador pode variar, mas os mais comuns usam dois braços com pesos e ganchos nas pontas. Eles ficam no lugar com uma mola poderosa. Quando a velocidade do regulador aumenta, os braços se movem para fora pela força centrífuga. Com velocidade suficiente, eles vão para a posição onde os ganchos os pegam e os põem nas catracas. Isso opera um sistema de travagem que diminuirá a velocidade da caixa e a parará.

Melhorias

Um sistema de frios alternativo consiste em uma mola, freios, um ímã e um solenoide. A mola exerce força nos freios, o que faz com que a caixa pare de se mover. Então, com o solenoide ativado, o ímã libera os freios e a caixa pode se mover novamente.

O material escolhido para os freios é crítico para viabilizar o movimento do carro de forma suave. Caso o material gere muito atrito, o movimento pode ser agitado, resultando possivelmente em pequenos danos aos passageiros.

Segurança em elevadores modernos

Hoje, os computadores tornam possível a instalação de reguladores mais sensíveis. Microchips necessários monitoram a localização e a velocidade de todas as caixas em uma série de elevadores. Qualquer desvio pode acioná-os em muito menos tempo do que uma reação puramente mecânica exigiria. Além disso, todas as características de segurança são redundantes, ou seja, todos os sistemas teriam de falhar simultaneamente antes de um elevador cair.

Melhorias nos sistemas de travagem levaram a operações mais suaves também. Isso, juntamente com as características de segurança, levaram à capacidade de projetar elevadores que podem operar em ângulos e de de maneiras consideradas impossíveis algumas décadas atrás.

Loading...

Referências

Recursos

Loading ...
Loading ...