Como funciona uma trava de capô?

Escrito por jody l. campbell | Traduzido por débora sousa
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como funciona uma trava de capô?
Entenda como funciona o sistema de travamento do capô de um carro (Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images)

Outras pessoas estão lendo

Mecanismo da trava de capô

O mecanismo da trava do capô em um carro é uma invenção simples. Embora a maioria dos carros seja fabricada com sistemas de liberação de capôs semelhantes, eles são projetados individualmente para cada marca e modelo. Isso significa que mesmo sendo todos executados de uma maneira muito semelhante, eles não podem ser desinstalados de um carro e em seguida reinstalados em outro de marca e modelo diferente. O conceito geral do mecanismo é o mesmo, mas os esquemas e desenhos do sistema de trava do capô é diferente em cada veículo.

O sistema de tranca do capô começa no interior do compartimento do veículo. No lado do condutor (geralmente no canto inferior esquerdo do painel) está localizada a alavanca de liberação do capô. Esta se liga a um cabo que, então, se encaminha através do painel em direção à frente do veículo. A outra extremidade do cabo está ligada a um fecho secundário manipulado pelo puxar do cabo (ativado puxando a alavanca de desbloqueio). Para afastar a alavanca da sua posição inicial e fazer com que o capô se abra, basta puxá-la 3 cm ou 5 cm. Na parte frontal do veículo, uma trava de segurança retém o capô. Depois de localizá-la e liberá-la, esta deixa de dominar o capô e, em seguida, ele se abre.

Componentes de um sistema de trava de capô

A alavanca de liberação do capô localizada dentro do veículo é feita de plástico e é ligada diretamente ao cabo da trava do capô. Este cabo tem um revestimento exterior de proteção, para evitar sua corrosão ao ser exposto aos elementos. Ele também é projetado para mover-se dentro do revestimento para frente e para trás, para acomodar o movimento de puxar e liberar da alavanca e da trava secundária. A extremidade oposta do cabo é ligada ao fecho secundário, normalmente localizado perto do fundo. Quando a tensão é aplicada ao cabo da alavanca de liberação do capô, a trava secundária é girada, afastando-se de um assento de retenção localizado sob o capô. De acordo com o projeto, a trava secundária libera o capô alguns centímetros antes de uma trava de segurança assumir o controle. Ela está integrada no sistema de fecho do capô, no caso de liberação acidental da alavanca de dentro do compartimento de passageiros durante a operação do veículo. Sem a trava de segurança, o capô seria suscetível a abrir de uma vez e então voltar em direção ao pára-brisa, bloqueando a visão do motorista e, provavelmente, causando grandes danos ao capô, às suas dobradiças e ao pára-brisa.

A trava de segurança tem uma alavanca que gira ligeiramente ao movê-la e então a libera de sua posição inicial do capô. A maioria das travas de segurança não exige tensão no capô para este ser liberado. Isso significa que muito provavelmente você precisará pressionar o capô ligeiramente para baixo de volta na posição fechada, retirando assim a pressão sobre a trava de segurança para manobrá-la e liberá-la do assento. Uma vez que isso for feito, o capô está livre para abrir. Muitos capôs utilizam uma haste de apoio integrada ao veículo, que fica localizada na estrutura superior da frente ou das laterais ou dos carris e ligado à parte inferior. Um pequeno clipe segura a extremidade superior da haste no lugar. Solte a haste do clipe, suspenda-o e localize a sua posição inicial (geralmente marcado) na parte de baixo do capô. Outros modelos podem ter a haste de apoio ligada à parte de baixo do capô e a posição inicial localizada nos carris superiores. Veículos de alta qualidade agora estão usando choques de capô hidráulicos para abrir automaticamente os capôs dos carros e substituir a haste de suporte do capô completamente.

Manutenção para os componentes da trava de capô

Depois de muito uso e desgaste normal, a trava do capô passa a apresentar áreas comuns de deterioração. A alavanca, muitas vezes feita de plástico, pode simplesmente quebrar-se. O cabo pode agarrar no interior do revestimento (usualmente na extremidade ligada à trava secundária onde está exposto aos elementos). As travas secundárias e as de segurança podem secar ao ser expostas aos elementos e podem não liberar corretamente ou não voltar à posição de fechamento necessária para fechar o capô corretamente. Embora uma trava de liberação de capô possa permitir que você abra o capô de um carro, se não estiver funcionando da forma como deveria, ela pode impedir o capô de ser fechado. A graxa de lítio branco e uma manutenção regular são os dois melhores amigos do sistema de trava de capô. Uma pequena quantidade de graxa em cada extremidade do cabo (o lado interior do cabo está protegido contra os elementos do clima e a deterioração, portanto, necessita de pouca manutenção) para lubrificá-lo e evitar que ele agarre dentro do revestimento geralmente faz com que ele funcione bem. Se você esperar até que o cabo esteja grudando ou sendo apreendido por completo, uma manutenção do cabo pode não ser suficiente, sendo necessário uma substituição do mesmo. A graxa branca nas travas de segurança secundárias também é altamente recomendável para manter as travas funcionando nas dobradiças fixadas.

Ambas as travas secundárias e de segurança também integram uma mola de tensão. Manter as molas lubrificadas ajuda a restaurar a sua tensão. Para ajudar a promover longevidade e confiabilidade ao sistema de travamento de capô, mantenha todos esses componentes lubrificados durante cada mudança de óleo.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível