Como funcionam os fundos familiares

Escrito por phil m. fowler | Traduzido por danilo rodrigues
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como funcionam os fundos familiares
O fundo pode ser criado por qualquer pessoa e para, basicamente, qualquer tipo de bem (Digital Vision./Digital Vision/Getty Images)

Outras pessoas estão lendo

Fundos em geral

Um fundo é uma criação legal que ajuda as pessoas a gerirem suas propriedades de uma maneira que possam economizar com taxas e evitar impostos. O fundo pode ser criado por qualquer pessoa e para, basicamente, qualquer tipo de bem. O fundo envolve três partes legais: o outorgante, o administrador e o beneficiário. O outorgante é a pessoa que cria o fundo, colocando a propriedade nele. O administrador é a pessoa que gere o fundo por cuidar da propriedade em questão. O beneficiário é a pessoa que recebe algum benefício do fundo; por exemplo, o beneficiário pode receber os rendimentos gerados pela propriedade.

Fundos familiares

O fundo familiar é um tipo específico. Legalmente, é igual a qualquer outro fundo, mas o termo "fundo familiar" é usado para descrever um tipo comum, onde o beneficiário ou beneficiários são membros da mesma família que o outorgante. O fundo familiar é o caminho legal para uma pessoa, o outorgante, transferir a propriedade para um ou mais membros da família, os beneficiários. Por exemplo, um pai pode criar fundo familiar para transferir imóveis ou contas de aposentadoria para um ou mais filhos. O pai é o outorgante e o filho, ou filhos, são os beneficiários. O pai coloca a propriedade no fundo, e as crianças recebem a propriedade ou a renda produzida pela propriedade.

Por que usar um fundo?

Uma pergunta comum das pessoas que pensam em criar um fundo familiar é por que motivo eles devem passar pela dificuldade de criar o fundo, ao invés de simplesmente dar a propriedade ao beneficiário. Um fundo pode ser benéfico por muitas razões. Uma das razões mais comuns para o uso do fundo familiar é que o outorgante pode colocar condições ou restrições sobre o direito da criança a receber o imóvel. Por exemplo, o pai pode instruir o administrador para transferir dinheiro ou bens para o filho apenas se ele estiver casado ou tiver filhos, estiver graduado no ensino médio, ou que não tenha estado na prisão, entre outras coisas. Outros motivos comuns para a utilização do fundo familiar, incluem permitir que um administrador profissional gerencie os bens, aproveitando-se de certas economias fiscais, para escapar de taxas por morte ou impostos sobre doações, e afastar recibos de herança por parte dos beneficiários. O principal do fundo familiar é que o outorgante pode criá-lo para operar o que ele quiser.O que significa que o outorgante pode transferir os bens com restrições ao longo do tempo ou somente em casos específicos.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível