on-load-remove-class="default-font">
×
Loading ...

Como funcionam as pulseiras que brilham no escuro?

Atualizado em 21 fevereiro, 2017

Pulseiras que brilham no escuro geralmente são criadas com a ajuda de componentes químicos específicos. Quando combinados, eles produzem uma espécie de luminescência similar à dos vaga-lumes, de acordo com a Premier Glow. Quando os componentes químicos param de interagir, o brilho acaba. É por isso que a maioria das pulseiras que brilham no escuro só podem ser usadas uma vez.

Pulseiras que brilham no escuro utilizam reações químicas (club neon image by Igor Negovelov from Fotolia.com)

Pulseiras que brilham no escuro

Há dois tipos de pulseiras que brilham no escuro. Uma delas utiliza um componente de fósforo permanente que absorve e irradia brevemente a luz. Essa luz é sutil e, geralmente, só pode ser vista no escuro. Foi daí que veio o nome da pulseira. O outro tipo é feito com uma bainha fina de plástico que contém um tubo cheio de produtos químicos. Eles são combinados para criar uma reação que produz luz.

Loading...

Ftalato dibutílico

O ftalato dibutílico é um dos componentes químicos mais comuns em pulseiras que brilham no escuro. Esses químicos, em grande parte derivados do petróleo, são utilizados para criar plásticos e tintas. Eles são utilizados na pulseira para reter a pequena quantidade de compostos químicos ativos e para ajudá-los a interagir na velocidade certa. Isso significa que grande parte da solução contida na pulseira é de ftalato dibutílico. Apesar de ser relacionado a câncer e a ouras condições, ele não é venenoso, de acordo com o Hospital Infantil de Filadélfia.

Peróxido de hidrogênio

O peróxido de hidrogênio é utilizado como um catalisador. Ele deve ser mantido dentro de um pequeno frasco de vidro dentro da pulseira – geralmente conhecido como uma ampola –, de acordo com o Extreme Glow. Esse frasco contém o ftalato dibutílico e o peróxido de hidrogênio. Quando a pulseira é dobrada, o frasco se quebra e o peróxido de hidrogênio se combina com os outros químicos da pulseira, uma mistura de oxalato de fenila.

O processo de brilho

O oxalato de fenila e o peróxido de hidrogênio criam uma reação química que transfere muita energia entre os compostos, de acordo com a Premier Glow. Conforme os átomos ganham e perdem energia, eles produzem fótons – pequenos fragmentos de luz que escapam da reação e saem da pulseira. Uma tinta é incluída na mistura para dar à luz uma cor específica.

Sulfeto de zinco e alumínio estrôncio

Em pulseiras que não fazem essa reação química, é utilizada uma substância diferente, que geralmente é sulfeto de zinco ou alumínio estrôncio. Como fósforos, os dois reagem à luz de uma forma específica. Seus átomos também absorvem uma pequena quantidade de energia da luz exposta. Então, depois de energizados, os átomos perdem sua energia e começam a emitir raios de luz que podem ser vistos no escuro.

Loading...
Loading ...
Loading ...